Se garante?

Será que esse menino se garante? Eu acho que ele é um robô, que nem a Maisa…

Anúncios

O valor do pequeno

Guaiuba 093


Pode ser que alguém pense que aqui eu vá falar de pérolas ou de pequenos diamantes… se você pensou nisso ao ler o título do post, eu quero dizer que você ACERTOU.

Como assim? Simples (como tudo que escrevo…): vou chamar de pérolas ou diamantes as coisas pequenas.

Parece-me (e pode ser só uma impressão) que nós andamos meio esquecidos daquilo que a grande (pequena) doutora da Igreja, Santa Terezinha do Menino Jesus, nos ensinou com maestria: as pequeninas coisas feitas por amor e com amor têm valor de eternidade!

Que pequenas coisas? Antes de falar disso, queria lembrar que muitos dos meus leitores querem ser santos. Ser santo é uma GRANDE coisa. A maior coisa, o maior sonho do homem. E, no afã de sermos santos, procuramos travar grandes e justas batalhas contra o pecado, contra a maldade que existe dentro de nós. A batalha para sermos castos, a batalha pela oração diárias e fiel, a batalha pela obediência e por aí vai… Isso é tudo é mais que justo! Mas cuidado, corremos o risco – e isso que eu vou falar é muito sério – corremos o risco de nos perdermos na busca pela castidade e não encontrarmos a CARIDADE!

Sei que o que eu estou dizendo pode parecer à primeira vista um absurdo. Realmente, se analisarmos a fundo é um pouco contraditório e aconselho você a ler o meu primeiro post, carta aos jovens.

Mas o que quero dizer é que, às vezes, nos fixamos nessa área específica, a sexualidade, e nos esquecemos que ela faz parte de um todo: a nossa vocação ao amor! É isso que deve crescer. Na medida em que aprendemos a amar de verdade vamos nos tornando castos, pois a castidade nada mais é que a expressão da beleza do amor verdadeiro.

Mas, voltando ao assunto (eu me perco com facilidade, vocês já perceberam?), Santa Teresinha nos ensinou que as pequenas coisas, os pequenos gestos feitos por amor a Deus e ao nosso irmão têm valor eterno. Disso talvez a gente se esqueça.

Têm valor de eternidade esperar que os outros saiam primeiro do elevador antes de querer entrar. É santidade esperar que os outros se sirvam primeiro e, discretamente, ficar para trás na fila da comida (igual como a gente faz nos retiros!). É caminho de verdadeira santidade fazer uma genuflexão amorosa diante de Jesus na Eucaristia, mesmo que não fiquemos lá no Santíssimo uma hora como gostaríamos (ou deveríamos). É via de santificação estudar bem para as provas e para aprender.

Sendo assim, eu garimpei na memória algumas pepitas, uns brilham como diamantes, mas podem valer infinitamente mais, o valor é o amor…

Jogar o papel no lixo, dar descarga no sanitário, colocar no lugar uma coisa caída no chão, aguar uma plantinha seca que ninguém olha mais, arrumar a gaveta, organizar a mesa de estudo e/ou trabalho, responder aquele e-mail que um amigo mandou perguntando algo ou pedindo uma ajuda, dar um cartão de feliz aniversário a um amigo, olhar nos olhos do mendigo que estende a mão para nos pedir algo, sorrir para as crianças que limpam os para-brisas dos carros (mas na verdade você deveria mesmo era chorar!!!), elogiar a comida à pessoa que a fez, pedir com licença, dizer obrigado, falar por favor, lavar aquele tênis sujo há meses, ligar para uma amigo que não falamos já há algum tempo, olhar para o céu e agradecer pelo brilho da lua e das estrelas… vamos lá, quantas coisas mais você pode acrescentar nessa lista? Quem sabe com a vida menos tensa e mais agradecida a vivência da castidade não se torne mais fácil… 😉

P.S.: O que tem a ver o pintinho? Bom, não encontrei outra coisa melhor. Fui eu quem tirei a foto. Gostaram? Se tiverem outra sugestão eu coloco. Todas as fotos que estão nesse blog foram tiradas por mim (claro que não tirei a foto do esquilo da Era do Gelo e nem do Papa abraçando as crianças…)

O menor é o maior

manchetes-papabr-fazenda-atualiza-pol

Jesus pegou então uma criança, colocou-a junto de si e disse-lhes: ‘quem receber esta criança em meu nome estará recebendo a mim. E quem me recebe estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menos, esse é o maior. (Lc 9,47b-48)

Duas coisas me chamam atenção nessa passagem: primeiro o fato de que o Senhor pega uma criança e coloca junto de si. Algumas vezes vamos ver Jesus se relacionando com as crianças no Evangelho ou falando delas. Eu não sou exegeta nem biblista, muito longe estou disso; partilho apenas as minhas impressões e, nesse caso, vejo um Jesus sorridente. Convenhamos, as crianças da Galiléia de 2000 anos atrás não diferem das crianças da América do século XXI. São crianças e, tanto para aquelas como para estas, o que importa é o sorriso. Elas não se aproximam de um antipático! Não se aproximam de um carrancudo, nem muito menos se sentem à vontade, se deixam abraçar.

Uma amiga minha, professora primária na Itália, me contou uma vez que, para as crianças, alegria e simpatia eram sinônimos de bondade e beleza. Achei interessantíssima essa observação. Essa minha amiga dá aulas para crianças de 7 anos de idade e me disse que, quando ela chegava na escola um pouco triste, as crianças diziam: professora, você está feia hoje! Para as crianças o mau é sempre feio (por isso a absurda e esdrúxula cultura do feio nos desenhos animados que tentam fazer as crianças acreditar em heróis de aparência terrível… mas isso é outro assunto), e o bem é sempre belo, alegre, colorido e sorridente. Nelas, o conceito de bondade e beleza se confundem, como em Deus. Eu não sou psicólogo, nem pedagogo, nem trabalho atualmente com crianças, mas acredito que istou que estou falando é absolutamente certo pela experiência que eu tenho e pelo testemunho de outras pessoas.

Então, voltando ao assunto, acho que podemos “corrigir” alguma imagem distorcida na nossa mente a respeito de Jesus se olharmos o evangelho com o olhar de uma criança. Como você imagina Jesus?

Uma outra coisa muito importante, ao meu ver, nesse pequeno trecho do Evangelho é a frase de Jesus: o menor é o maior. Puxa vida! O menor, o mais simples, o mais humilde, o que serve é o maior. Aos olhos humanos, e até mesmo as olhos de homens cristãos como nós, isso não passa de uma teoria (para não dizer, uma quimera). Porque, no fundo e na prática, honramos os grandes e queremos ser grandes. Não quero aqui fazer uma ode ao complexo de inferioridade, mas sim confrontar a nossa vida com o Evangelho, a lei máxima! Tantas palavras bonitas tornam-se vazias se não se confrontam com a verdade clara e evidente do Evangelho. No Reino de Deus, o menor é o mais importante. Convenhamos: o “menorzinho” de uma família, não é  o paparicado da vez? Aquele que está enfermo, que não pode fazer coisa alguma, que está de cama, não se torna o mais importante para aqueles que o amam? Sabe porque o Evangelho parece que está de cabeça para baixo? Porque nós temos a visão invertida das coisas! O Evangelho é regido pelo AMOR e nós somos comandados, ou pelo menos fortemente influenciados, pelo poder, prazer e possuir. Pensemos nisso da próxima vez que formos preteridos em alguma coisa, que nos derem serviços mais humildes ou que não nos derem as “honras” que achamos que merecemos mais ou menos justamente.

Novo programa humorístico

Pessoal, tenho uma bomba pra vocês! Descobri um novo programa humorístico, tão inteligente, mas tão inteligente que parece até um telejornal!

Isso mesmo. Chama-se… bom, não sei como se chama, mas é conhecido como o jornal da noite da REDETV.

É realmente hilariante, incrivelmente bem bolado. Eu, infelizmente, não estava tão atento e não vi tudo, do começo ao fim, mas selecionei apenas 3 pérolas que tive a oportunidade de notar em menos de 15 minutos:

a) Apresentadora diz: “O assaltante entrou na casa pelo teto armado com uma arma”… Não diga!!! Sério? Tá brincando? Ele não tava armado de outra coisa não? Tem certeza? Que original!!!

b) A mesma apresentadora diz com voz clara e pausada: “Caiu uma laje matando um engenheiro em Brasília, no Distrito… ” E aí? Vocês já sacaram qual era o distrito? Seria por acaso o Distrito Federal? Errouuuuuuuuu!!!

Era no Distrito… vamos lá, quem adivinha? Distrito POLICIAL. Pois é galera, agora BRASÍLIA, a capital do nosso querido BRASIL fica no DISTRITO POLICIAL

c) Mas não para por aí (se não fosse essa bendita reforma, eu teria escrito pára… mas tudo bem). Tem mais outra pérola: bom, a notícia era o seguinte: em Minas Gerais já foram contabilizados 175 casos (não me lembro o número preciso) de mortes pela gripe A. Então o apresentador faz o seguinte comentário: “dentre esses casos, destacam-se 4 homens e 6 mulheres”… Bom, eu estou meio atrasado, nasci no século passado, sou do tempo que existiam dois gêneros e apenas uma raça inteligente no planeta terra: os humanos. Então, vocês que devem ser os jovens do terceiro milênio, que ainda vão aprender na escola as novas regras ortográficas (que eu, como bom representante da minha geração século XX acho ridículas), me expliquem: se dentre todos esses mortos 4 são homens e 6 são mulheres, os outros são o que??? Não me digam que são… animais! Antílopes com protuberâncias cornígeras na cabeça (para não usar animais da nossa fauna), eu ia falar do número de calçado 54, mas desisti.

Fica a dica: humor inteligente é na REDETV News.

rede tv news 1

PRIMAVERA

primavera 014

Pessoal, engraçado como a gente não percebe as coisas boas com facilidade. Na verdade, falo por mim e acho que esse é um defeito não incomum. Uma grande amiga minha, a Janice Dantas, me fez notar há alguns anos atrás como a Primavera em Fortaleza era bonita. Nunca havia me passado pela cabeça o fato de que em Fortaleza houvesse uma primavera pois, como a maioria dos Nordestinos, eu fora habituado a ver apenas duas estações: as chuvas que chamamos inadequadamente de “inverno” e a estação da estiagem que corresponderia ao nosso verão. Porém, embora pouco perceptível, nós temos sim as 4 estações do ano. Quem já experimentou ir à Guaramiranga em julho ou agosto? É inverno! E todos nós reclamamos e nos esbaforimos em dezembro e janeiro, quanto dizemos “Meus Deus, que calor insuportável, tá pior que o ano passado…” – pois é, trata-se do verão.

Como eu dizia, essa minha amiga que, como toda mulher tem sensibilidade pelos detalhes que nós homens não temos, me fez perceber a beleza das flores da nossa primavera cearense. Sugiro que a gente ande pela cidade com um olhar mas atento aproveitando a beleza que Deus fez para nós em meio ao cáos da nossa civilização.

As fotos não estão muito boas pois eu tirei enquanto andava no trânsito aproveitando sinais e cruzamentos rapidamente. Mas vale a pena conferir.

Abraço.

primavera 001primavera 002primavera 004primavera 019primavera 027primavera 017

Feio Feliz

Essa é uma homenagem a um amigo meu… calma, não é o conteúdo que se refere a ele, meu amigo é o AUTOR do texto, e ele até que não é feio… mas por vias das dúvidas (pode ser que ele não aceite aqui esse homenagem) eu não vou publicar o seu nome…


(Gratidão de um feio)

Todos dizem que sou feio

Mesmo assim não vou parar

O que importa nessa vida

É ser feliz e sempre amar

A feiúra é relativa

É feio quem nunca amou

Mais importante nessa vida

É a beleza interior

Muitos já de mim mangaram

Mas não vou me preocupar

Importa nessa vida

É saber sempre perdoar

Os meus dentes… Tramelados

O meu charme já se foi

As canelas são cambitas

E só vejo com um “ôi”

Seja de longe ou de perto

Que sou belo ninguém diz

De uma coisa eu estou certo:

Sou feio mas sou feliz

Meus cabelos, outro drama!

São um maço de bombril

Isto é, o que sobrou

A maior parte já caiu.

Minha mãe já me contou

Que quando vim a este mundo

Caiu um raio no hospital

E ela dormiu um sono profundo.

Quando acordou, depois do parto

E viu no colo o seu bebê

Gritando, saiu do quarto:

“Esse bicho vai me comer!”

Minha experiência de feiúra

É muito rica e construtiva

Porque Deus já me curou

Da auto-imagem negativa.

Hoje já sou homem feito

E tenho a vida em minhas mãos

Posso olhar pro meu passado

Com imensa gratidão

Sempre vejo por aí

O povo não reconciliado

Que só vive a murmurar

Dos seus traumas do passado

Reclamando leva a vida

E o fardo fica mais pesado.

Esse fardo da feiúra

Tem que ter jeito pra levar

Porque senão fica mais dura

A luta pra se aceitar

O caminho não é fácil

Muitas vezes já o fiz

Mas garanto que é possível…

Dos feios sou o mais feliz.