Feio Feliz

Essa é uma homenagem a um amigo meu… calma, não é o conteúdo que se refere a ele, meu amigo é o AUTOR do texto, e ele até que não é feio… mas por vias das dúvidas (pode ser que ele não aceite aqui esse homenagem) eu não vou publicar o seu nome…


(Gratidão de um feio)

Todos dizem que sou feio

Mesmo assim não vou parar

O que importa nessa vida

É ser feliz e sempre amar

A feiúra é relativa

É feio quem nunca amou

Mais importante nessa vida

É a beleza interior

Muitos já de mim mangaram

Mas não vou me preocupar

Importa nessa vida

É saber sempre perdoar

Os meus dentes… Tramelados

O meu charme já se foi

As canelas são cambitas

E só vejo com um “ôi”

Seja de longe ou de perto

Que sou belo ninguém diz

De uma coisa eu estou certo:

Sou feio mas sou feliz

Meus cabelos, outro drama!

São um maço de bombril

Isto é, o que sobrou

A maior parte já caiu.

Minha mãe já me contou

Que quando vim a este mundo

Caiu um raio no hospital

E ela dormiu um sono profundo.

Quando acordou, depois do parto

E viu no colo o seu bebê

Gritando, saiu do quarto:

“Esse bicho vai me comer!”

Minha experiência de feiúra

É muito rica e construtiva

Porque Deus já me curou

Da auto-imagem negativa.

Hoje já sou homem feito

E tenho a vida em minhas mãos

Posso olhar pro meu passado

Com imensa gratidão

Sempre vejo por aí

O povo não reconciliado

Que só vive a murmurar

Dos seus traumas do passado

Reclamando leva a vida

E o fardo fica mais pesado.

Esse fardo da feiúra

Tem que ter jeito pra levar

Porque senão fica mais dura

A luta pra se aceitar

O caminho não é fácil

Muitas vezes já o fiz

Mas garanto que é possível…

Dos feios sou o mais feliz.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Feio Feliz

  1. Quero já comentar aqui dizendo que esse é um dos trexos “censurados” do meu último livro “MELHOR VIDA NÃO HÁ”….
    Não sei porque não me deixaram publicá-lo… mas tem nada não, eu publico aqui e ninguém vai mandar eu tirar!

  2. Não entendi o porque de ser censurado…
    Esse texto traz informações muito divergentes do livro? Achei esse texto simples, legal, gostoso de ler.

    Bacana teu Blog.. parabéns

    ps. está gostando do kArro?

    Abraços

  3. hehehehehe
    Na verdade, foi “sensurado” pelos jovens que fizeram a equipe de revisão comigo. Sei lá.. eles não gostaram, acharam que tava grande… mas na verdade, besteira por besteira, tem outras maiores lá…
    Estou gostando muito do meu KArro, apesar de ele ser um alcoolátra e gasolinólatra.
    Obrigado pelo apoio.
    Abraço.

  4. Caramba, esse “sensurado”… AAAIII!!! Era pra matar alguém do coração mesmo, certo?
    Mas, realmente, não faz sentido censurar com “c” esse texto e deixar o resto (“Batatinha quando nasce, caranguejo não tem pescoço. Se tu gostavas de mim, por que roubaste o meu patinete?” e por aí vai…). Ia ter ficado legal, no livro. Bom, eu, pelo menos, teria gostado (pelo menos não deu trabalho: tava tudo certinho)

    P.S.: você colocou o texto assim, pulando uma linha éntre cada verso, sem dividir estrofes, pra não perceberem que a antepenúltima estrofe tinha 6 versos, foi? XD

    Abraço!

    P.S.2: O nome do autor deveria constar na “farmácia Shalom” Huausahusahsuahsaushau

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s