A tentação-mosca

Um padre da Igreja (teólogo dos primeiros séculos cristão) dizia que o demônio é como um cão que late mas não morde, pois está amarrado. Ele só morderá quem dele se aproximar. É uma comparação muito simples mas, ao meu ver, muito profunda e verdadeira. O demônio pode fazer muito barulho, tentar nos distrair, nos fazer medo, etc., mas não pode nos tocar a não ser que demos trela para ele.

cachorro-latindo massa

Na história do pecado original, na tentação dos nossos primeiros pais, há uma coisa muito interessante:

“A serpente (…) disse à mulher:

– Então Deus vos disse para não comerdes de nenhuma árvore do jardim?

A mulher respondeu à serpente:

– Não! Nós podemos comer de todas as árvores do jardim…” (Gn 3,1-2a)

Eu já disse anteriormente que não sou estudioso da Bíblia, só coloco às vezes as minhas impressões, aquilo que acredito que Deus coloca no meu coração. Nesse caso, eu parei de escrever os versículos porque creio que foi exatamente aí que começou o pecado: “A mulher respondeu à serpente”. Esse é o nosso problema, às vezes damos muita trela para o demônio, para aquilo que ele nos sugere. Damos “ouvidos”, respondemos às suas provocações, nos aproximamos do cão amarrado.

Damos ouvidos quando ficamos tristes por vermos pecados e fraquezas em nós. Ora, é justamente esse o objetivo dele: nos desanimar, nos entristecer! Quanto falta o louvor nos nossos corações e começa a tristeza e a melancolia, começamos a “responder à serpente”. Damos ouvidos quando queremos “testar as nossas forças”, mesmo sabendo da nossa fraqueza, nos expomos à tentação. Nós não “nos garantimos”! Quem nos garante é a graça de Deus! Não devemos nos expor ao diabo (Ef 4,27), pois ele “rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar”! (I Pe 5,8).

leão rugindo

Eu tinha um confessor e diretor espiritual quando eu estava no início da minha caminhada no seminário que nos aconselhava a louvarmos a Deus até mesmo pelo pecado. Não porque o pecado seja uma coisa boa, mas porque deveríamos destruir o tentador com a sua própria arma. Sei que isso é muito difícil, mas o segredo está em não esmorecer o louvor. Não é que devemos agradecer a Deus pelo ódio que sentimos por alguém, por exemplo, mas agradecer a Deus que nos perdoa, que ama aquela pessoa, que nos dá paciência… etc.; você pode não agradecer a Deus porque pecou contra a castidade, mas porque você é filho de Deus, porque Deus criou o seu corpo e o corpo das outras pessoas de maneira tão bela… devemos usar a criatividade e não dar trela para o inimigo.

Bom, eu também gosto de dizer que o demônio, as tentações são como moscas. Elas perturbam, tiram a paciência do cidadão, mas elas são apenas… moscas! Nada mais! Simplesmente moscas. Se olharmos para uma mosca com uma potente lente de aumento, talvez o seu aspecto terrível até nos amedronte. Às vezes um problema, uma tentação, um pecado é visto com essa lente. A coisa é realmente feia, mas uma mosca, convenhamos, não mata! A mesma coisa que falei lá no “pinico de passarinho”: você pode não conseguir evitar que as moscas lhe encham o saco, mas daí a comê-las ou brincar com elas… é outra coisa!


102_819-alt-fly001

102_819-alt-fly002

102_819-alt-fly004

102_819-alt-fly005

102_820-alt-fly006

moscas 1

Um artista conhecido apenas como Flychelangelo está ganhando fama usando moscas mortas em suas composições. A ideia é simples: os insetos servem como modelos em uma tela branca. O restante do cenário é composto por uma caneta criativa e bem humorada.

Legal né? 😉

Anúncios

7 pensamentos sobre “A tentação-mosca

  1. Ei, gostei, ó! Quem foi o padre da Igreja que disse isso, hein?
    Você consegue ser ao mesmo tempo profundo e hilário – esse Flychelangelo… mas fica aí a mensagem: vou me lembrar de nunca mais comer ou brincar com moscas! XD

  2. Padre… fantastico…, gostei muito, mas confesso q esse trosso desse cachorro latindo pra mim direto me dá tanta raiva, pois as vezes eu vou brigar com ele, vou tacar uma paulada na cabeça dele e acabo saindo mordido, me dá uma raiva tão grande de mim, pois to tão bem no meu canto, vivendo a oração, a contemplação, a evangelização, a radicalidade, qdo menos vejo o trosso ja ta latindo, mas tenho fé q um dia eu mato ele com o seu proprio veneno.
    Forte abraço
    SHALOM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s