Homossexualismo de plástico

A notícia abaixo é, no mínimo, interessante. Sei que o tema “homossexualismo” é muito polêmico, mas isso não é uma abordagem moral, apenas científica. Vale a pena conferir.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos indica que a exposição de gestantes a certas substâncias presentes na composição de plásticos pode mudar o comportamento de seus filhos do sexo masculino, fazendo com que eles fiquem “mais femininos”.

De acordo com o estudo, de pesquisadores da University of Rochester, alguns tipos de compostos químicos conhecidos como ftalatos interferem no desenvolvimento do cérebro, bloqueando a ação do hormônio masculino testosterona nos bebês.

Os ftalatos são encontrados em embalagens para alimentos, certos tipos de pisos e cortinas plásticas, colas, corantes e artigos têxteis, entre outros itens. Há vários tipos dessa substância, e alguns simulam o efeito do hormônio feminino estrogênio.

A equipe de pesquisadores, liderada por Shanna Swan, testou amostras de urina de gestantes a partir da metade da gravidez procurando por traços de ftalatos.

As mulheres deram à luz 74 meninos e 71 meninas. Quando os meninos tinham entre quatro e sete anos, os pesquisadores perguntaram às mães sobre seus brinquedos e brincadeiras preferidos.

Eles verificaram que a presença de dois tipos de ftalatos, o DEHP e o DBP, tinha relação com a forma de brincar das crianças.

Os meninos expostos a altas doses desses compostos apresentaram menor tendência a brincar com carros, trens ou armas de brinquedo e a participar de brincadeiras mais agressivas, como lutas.

Banidos na UE

Já se sabia que as substâncias interferem na ação de hormônios no organismo e, por isso, elas foram banidas de brinquedos na União Europeia há alguns anos.

A equipe responsável pelo novo estudo também já havia provado a associação entre a substância e meninos nascidos com anomalias nos genitais.

“Nossos resultados precisam ser confirmados, mas são intrigantes em muitos aspectos”, disse Swan.

“Não apenas são consistentes com descobertas anteriores, associando os ftalatos a alterações no desenvolvimento dos genitais, mas também são compatíveis com conhecimentos atuais sobre como os hormônios moldam as diferenças sexuais no cérebro e, portanto, o comportamento.”

A pesquisa foi divulgada na publicação científica International Journal of Andrology.

[notícia publicada pela Globo.com em 16/11/2009 divulgada pela BBC Brasil]

9 pensamentos sobre “Homossexualismo de plástico

  1. Podemos da ro nome de ciência ao estabelecimento de uma relação arbitrária a partir de um ponto de vista estreito? Acho quue não, desde Aristóteles (Priemiros e Segundos Analíticos) a ciência é o saber no qual se conhece pela causa e por isso, trata-se de um sabe que opera no campo da necessidade. O que encontrei nessa “reportagem” além de informações arbitrárias, nada! Por que digo que elas são arbitrárias? Em primeiro lugar, não há senso histórico. O plástico só recentemente foi inventado d a homossexualidade já existia na Grécia Antiga, em povos mais antigos que os Gregos e quando os portugueses aqui chegaram descobriram sua existência entre os índios. A pergunta que deveriamos nos fazer é a seguinte: se o plástico aind anão existia, como tinhamos comportamentos que podem ser descritos como homossexuais nas referidas épocas? Em segundo lugar, nossa sexualidade não está necessariamnete vinculada aos hormônios e homossexuais do sexo masculino apresentam, na maioria das vezes, um funcionamento hormanal normal, por outras palavras, ser homossexual masculino não equivale a não ter testosterona ou a falta dela, quem pensa assim, apresenta uma visão muito estreita da homossexualidade. Em terceiro lugar, trata-se de uma pesquisa nada neutra, afinal já parte da idea de que ser homossexual equivale a ter passado por alguma espécie de interferência (erro) no processo de formação e que ser heterossexual seria o normal,rsrsrs. Isso é no mínimo preconceituoso. Fico por aqui.

    Abraços

    • Bom, devo me explicar. É claaarooo que eu não acho que o homossexualismo tem origem no plástico!!! Isso seria o maior absurdo da face da terra! Achei apenas interessante a reportagem não por causa do homossexualismo (aliás, o título é irônico!) mas por causa das toxinas que podem haver no plástico que podem causar essa disfunção hormonal perigosa.
      Porém, discordo em um pequeno ponto do seu comentário. Eu não tenho preconceito com relação aos homossexuais, tenho alguns amigos que são homossexuais e eles gostam muito de mim e me admiram muito. Mesmo assim considero o homossexualismo como um problema de caráter psicológico e, digo de passagem, os meus amigos homossexuais estão de pleno acordo comigo. Mas eu sei que esse é um assunto muito polêmico e que estamos caminhando para uma verdadeira perseguição aos cristãos por causa desse e de outros temas controvertidos na sociedade de hoje. Oxalá não sejamos presos e mortos por isso, mas eu acredito que, se continuarmos como estamos, seremos sim perseguidos até mesmo à morte por não aceitar a prática homossexual (o que não significa rejeitar os homossexuais).
      Deus abençoe a todos!

  2. Caro Leonardo,

    Primeiro: O termo correto não é “homossexualismo” e, sim, “homossexualIDADE”, já que a terminação “ismo” indicava historicamente doença e a homossexualidade não é classificada há muito tempo por vários órgãos de saúde como: Conselho Federal de Medicina, Conselho Federal de Psicologia e Organização Mundial de Saúde.

    Segundo: Pesquisas em todas as áreas do conhecimento humano (antropologia, medicina, psicologia, etc.) comprovam que a homossexualidade não é um transtorno psicológico e não é problemática em si mesma; os problemas que surgem para o homossexual são de ordem social, ou seja, ser gay não é um problema. Ser gay em nossa sociedade homofóbica, machista e violenta, daí, sim, é um grande problema. O preconceito deve ser extinto, não a homossexualidade.

    Terceiro: Poderias aconselhar teus amigos homossexuais que acreditam que têm problemas psicológicos por serem gays a procurar auxílio de um profissional de psicologia, pois esse preconceito internalizado contra eles próprios é extremamente nocivo à saúde mental dos mesmos.

    Abraços.

  3. Bom, na verdade, discordo plenamente da sua opinião (mesmo assim aprovei seu comentário, pois acho que é democrático aceitar o contrário).
    O homossexualilsmo, ao meu ver é um problema sim, e nunca vi um gay que não tenha um histórico familiar de problemas com os pais, principalmente do sexo masculino. Uma relação conturbada com o pai, geralmente na infância e adolescência é o ponto comum de quase todos os homossexuais masculinos e vice-versa com relação às mulheres.
    Infelizmente a ditadura gay está implantando-se na nossa sociedade e nós cristãos seremos reprimidos e perseguidos por persarmos o contrário.
    Mas eu espero em Deus que vozes sensatas se levantem contra essa opressão!
    Não quero ferir ninguém com minha opinião. Não sou psicólogo mas acompanho vários jovens que tem esse problema de desvio na sexualidade e que querem ter uma vida casta e feliz, será que eles não podem? Será que eles serão obrigados a se assumirem e praticarem o homossexualismo? TODOS os jovens com tendência homossexual que eu conheço têm relação conturbada com o pai, que, geralmente, eles odeiam.
    Vocês podem me prender (embora isso ainda não seja possível) mas eu ainda vou continuar com a minha opinião que creio ser a verdade, e isso é justo, como é justo que outros pensem o contrário de mim.

    • Leonardo

      Muito obrigado por aceitar meu comentário!

      Sabe por que que os gays, geralmente, têm um histórico familiar de conflitos com os pais chegando, inclusive, a odiá-los (como vc mesmo disse) em alguns casos? Porque os pais NÃO estão preparados para ter um filhos homossexual, eles projetam tudo para a vida do filho como heterossexual, daí, se o filho é homossexual, eles naturalmente têm seus planos frustrados. A sociedade homofóbica também diz a esses pais que eles têm um filho problemático, que o filho é um doente, que o filho não é “normal”, etc. etc. Logo, é esperado que esses pais tenham problemas para lidar com uma situação que está marcada socialmente como problemática.

      Agora, tenho que discordar em um ponto: gays geralmente não têm uma relação conturbada com as mulheres, na verdade, é bem comum que eles se dêem super bem com elas, é fácil observar isso: quando caminhar pelas ruas, shoppings, etc, preste atenção aos gays que encontrar e veja se muitos não estão com amigAs.

      Também devo dizer que não são todos os homossexuais que apresentam conflitos com os familiares: conheço vários deles que se dão muito bem com os pais. Quando isso acontece, geralmente, são pais conscientes, não-homóbicos, que aceitam os filhos como eles são e não querem obrigá-los a seguir um padrão de “normalidade”.

      Quanto à “ditatura gay” que o senhor faz referência, pergunto: defender os próprios direitos, lutar por IGUALDADE (a única coisa que se pede), não querer mais ser massacrado, não querer mais sofrer discriminação no trabalho, na escola, não querer ser xingado e espancado ou morto nas ruas (coisas ainda muito comuns) simplesmente por ser gay é desejar a implatação de uma ditadura??? Eu vejo isso como luta social por respeito, assim como os negros, outrora massacrados e explorados por senhores com a aprovação religiosa. Eles também eram condenados quando lutavam por mudanças sociais, dizia-se que não eram humanos completos… assim como homossexuais são vistos hoje… enfim, acredito que a luta pela dignidade e pela diversidade sexual é legítima e democrática.

      Muito obrigado!

      Abraços.

      • Bom, concordo em parte (isso não era pra virar um debate!).
        Acho que vou escrever um artigo com algumas referências bibliográficas de psicólogos que defendem o fato que o homossexualismo é um desvio sexual que pode e deve ser tratado.
        CONCORDO com você – e acredito que nenhuma pessoa sensata pense diferente – que temos que lutar contra o PRECONCEITO. É verdade, as pessoas com tendencia homossexual devem ser respeitada como seres humanos que são. Eles são tão normais quanto um diabético ou uma pessoa com síndrome de Down. Devem ser AMADOS e RESPEITADOS, mas isso não significa que devemos concordar com a teoria de que o homossexualismo é tão normal quanto a heterossexualidade, pois não é e isso é um fato.
        Discordo também em dizer que as pessoas que estão com essa tendência só têm como conflito familiar a não aceitação. Qualquer um que tenha contato com várias pessoas que vivem com essa tendência sabe perfeitamente que VIA DE REGRA isso não é verdade. O homossexualismo teve, nessas pessoas, origem em uma mãe dominadora, um pai prepotente que não deu carinho, que preteriu esse filho em detrimento a outros, que foi ou é alcoolátra; pais separados, ausência de bons modelos masculinos etc. Filhos de famílias normais, com sadio relacionamento familiar, não têm esse tipo de problema.
        Meu irmão, eu mais uma vez repito, não quero ofender ninguém com isso, tenho amigos com problemas de homossexualismo ou lesbianismo e eles, que vivem no mundo gay, me relatam que todos os seus amigos tem esses conflitos.
        A ditadura gay se implanta quando queremos legitimar, por exemplo, a adoção de crianças por parte de duplas homossexuais ou quando nós cristãos não podemos colocar livremente a nossa opinião contra a PRÁTICA homossexual.
        Quero reafirmar o que qualquer pessoa de boa formação, que lê documentos sabe: a Igreja Católica não discrimina os homossexuais, não acha que eles vão para o inferno ou coisa do tipo, mas não podemos compactuar com o pecado da prática homosseuxal pois isso seria uma contradição à Palavra de Deus que devemos ser fiéis até o fim!
        Se, no passado, cometemos erros, não podemos continuar comentendo sendo infiéis à Deus.
        Um último ponto importante: se a pessoa quiser praticar o homossexualismo, ela é livre para fazê-lo pois nem Deus nos impede nos nossos atos, embora sejamos inteiramente reponsáveis por eles. Mas, se a pessoa, por um espírito de fé e amor a Deus, quiser ser ajudado a viver uma vida casta e santa, com a tendência homossexual, mas sem a prática, por que impedi-la? Por que tentar impedir que os psicólogos cristãos ajudem a pessoa a superar os seus conflitos de relacionamento, sua não identificação com sua própria sexualidade e tentar convencê-la a todo custo a “assumir-se gay”?
        É nisso que está a ditadura gay. Que Nossa Senhora, a Virgem Maria, nos proteja pois eu vislumbro tempos ainda mais difíceis para nós. Podemos chegar a um tempo onde voltará a perseguição legal aos cristãos por defenderem sua fé e seus valores!
        A falta de amor pode destruir o mundo! É a falta de um verdadeiro amor que gera o homossexualismo. Por isso mesmo devemos não acrescentar ainda mais falta de amor às pessoas que sofrem esse problema, mas acolhê-las e amá-las, se elas quiserem ajuda.
        Deus abençoe a todos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s