Buon Natale!!!

Tu scendi dalle stelle o Re del cielo,
e vieni in una grotta al freddo e al gelo,
e vieni in una grotta al freddo e al gelo.
O Bambino mio divino, io ti vedo qui a tremar.
O Dio beato!
Ah! Quanto ti costò l’avermi amato.
Ah! Quanto ti costò l’avermi amato.

A te che sei del mondo il Creatore,
mancano i panni e il fuoco, o mio Signore.
Mancano i panni e il fuoco, o mio Signore.
Caro eletto pargoletto, quanta questa povertà
più mi innamora, giacchè ti fece amor povero ancora.
Giacchè ti fece amor povero ancora.

Tu lasci del tuo Padre il divin seno,
per venire a tremar su questo fieno;
per venire a tremar su questo fieno.
Caro eletto del mio petto, dove amor ti trasportò!
O Gesù mio, perchè tanto patir, per amor mio…

Famoso canto natalino composto por Santo Alfonso Maria de Liguori, bispo napolitano que fundou em 1732 a Congregação do Santíssimo Redentor (uma ordem missionária) e que foi sucessivamente canonizado em 1831. Em dezembro de 1744, enquanto residia no Convento da Consolação em Deliceto (província de Foggia), compôs e executou, no período de Natal, este esplendido canto natalino.

AQUECIMENTO GLOBAL

Frio deixa mais de 80 mortos e paralisa Europa às vésperas do Natal

PARIS, França (AFP) – Milhares de europeus ficaram bloqueados em trens, estradas e aeroportos neste domingo, em decorrência da neve e da onda de frio que assola o continente e já provocou mais de 80 mortes, a maioria de pessoas desabrigadas. A situação é caótica, com o tráfego de trens Eurostar suspenso, vôos cancelados e estradas bloqueadas.

A temperatura atingiu 33,6 graus negativos na madrugada de sábado na Baviera (sul da Alemanha), que registrou seis mortos, um deles em Mannheim, sudoeste do país; 42 pessoas morreram de frio na Polônia e 27 na Ucrânia. Na França, onde a madrugada deste domingo foi uma das mais frias do ano, com -24ºC no leste do país, um desempregado de 36 anos foi encontrado morto em seu trailer perto de Arras (norte), assim como um desabrigado polonês em Marselha (sul) e um outro homem, vítima de hipotermia.Três pessoas foram encontradas mortas no sudeste da Áustria. Em Zagreb, 50 pessoas ficaram feridas nesta segunda-feira, quando um trem de passageiros se chocou contra um muro de cimento ao entrar na estação; o sistema de freios não funcionou corretamente, devido a uma temperatura de menos 17 graus.

Perto de Paris, o acidente com um carro, dirigido por um homem em estado de embriaguês, provocou a queda de um bloco de cimento na via férrea, acarretando o descarrilamento de um trem. Trinta e seis pessoas ficaram feridas.

A companhia responsável pelo Eurostar informou que o serviço do trem continuará suspenso pelo terceiro dia e não funcionará nesta segunda-feira por causa das baixas temperaturas.

A companhia também não deu garantias de que o serviço de ligação de alta velocidade entre Londres e Paris será retomado normalmente na terça-feira.

“Sinceramente lamentamos ter que tomar esta decisão e entendemos a frustração decepção dos passageiros”, afirma a companhia em um comunicado.

Além de repor a passagem, a companhia se comprometeu em pagar indenizações pelas inconveniências causadas pela suspensão das viagens aos passageiros.

Os trens estão bloqueados pela onda de frio que atinge a região. A diferença de temperatura entre o frio ao ar livre e o calor no túnel sob o canal paralisaram as operações.

Segundo a Eurostar, 24.000 pessoas estão atualmente bloqueadas dos dois lados do Canal da Mancha.

Os demais trens de alta velocidade (TGV, sigla em francês) da França circulavam a 220 km/h na manhã deste domingo, em vez dos mais de 300 km/h habituais. O tráfego ferroviário continuava muito perturbado no norte da França, na Bélgica, na Holanda e na Áustria.

Os aeroportos de Bruxelas, Charleroi e Liège, na Bélgica, pararam de funcionar por causa da neve.

No Reino Unido, a operadora BAA alertou para o risco de atrasos e cancelamentos em Heathrow, o maior aeroporto do país. O de Manchester (norte da Inglaterra), anunciou seu fechamento no fim da manhã.

Em Paris, no aeroporto internacional de Roissy-Charles-de-Gaulle, 40% dos voos previstos na manhã deste domingo haviam sido cancelados preventivamente no sábado, assim como 20% dos voos previstos para a tarde.

O frio e a neve também atingiram o sul da Europa. Várias regiões do norte e do centro de Portugal foram colocadas em estado de alerta neste domingo, e o tráfego aéreo continuava muito perturbado no aeroporto internacional de Madeira.

SE TUDO É UMA FARSA, QUEM GANHA COM ISSO?

O cara

E S T E   S I M,   É  O  CARA !

Odilon de Oliveira, de 56 anos, estende o colchonete no piso frio da sala, puxa o edredom e prepara-se para dormir ali mesmo, no chão, sob a vigilância de sete agentes federais fortemente armados. Oliveira é juiz federal em Ponta Porã, cidade de Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai e, jurado de morte pelo crime organizado, está morando no fórum da cidade. Só sai quando extremamente necessário, sob forte escolta. Em um ano, o juiz condenou 114 traficantes a penas, somadas, de 919 anos e 6 meses de cadeia, e ainda confiscou seus bens. Como os que pôs atrás das grades, ele perdeu a liberdade. ‘A única diferença é que tenho a chave da minha prisão.’

Traficantes brasileiros que agem no Paraguai se dispõem a pagar US$ 300 mil para vê-lo morto. Desde junho do ano passado, quando o juiz assumiu a vara de Ponta Porã, porta de entrada da cocaína e da maconha distribuídas em grande parte do País, as organizações criminosas tiveram muitas baixas.Nos últimos 12 meses, sua vara foi a que mais condenou traficantes no País.

Oliveira confiscou ainda 12 fazendas, num total de 12.832 hectares, 3 mansões – uma, em Ponta Porã, avaliada em R$ 5,8 milhões – 3 apartamentos, 3 casas, dezenas de veículos e 3 aviões, tudo comprado com dinheiro das drogas. Por meio de telefonemas, cartas anônimas e avisos mandados por presos, Oliveira soube que estavam dispostos a comprar sua morte.
‘Os agentes descobriram planos para me matar, inicialmente com oferta de US$100 mil.’ No dia 26 de junho, o jornal paraguaio Lá Nación informou que a cotação do juiz no mercado do crime encomendado havia subido para US$ 300 mil. ‘Estou valorizado’, brincou. Ele recebeu um carro com blindagem para tiros de fuzil AR-15 e passou a andar escoltado.
Para preservar a família, mudou-se para o quartel do Exército e em seguida para um hotel. Há duas semanas, decidiu transformar o prédio do Fórum Federal em casa. ‘No hotel, a escolta chamava muito a atenção e dava despesa para a PF.’ É o único caso de juiz que vive confinado no Brasil. A sala de despachos de Oliveira virou quarto de dormir. No armário de madeira, antes abarrotado de processos, estão colchonete, roupas de cama e objetos de uso pessoal. O banheiro privativo ganhou chuveiro. A família – mulher, filho e duas filhas, que ia mudar para Ponta Porã, teve de continuar em Campo Grande. O juiz só vai para casa a cada 15 dias, com seguranças. Oliveira teve de abrir mão dos restaurantes e almoça um marmitex, comprado em locais estratégicos, porque o juiz já foi ameaçado de envenenamento. O jantar é feito ali mesmo. Entre um processo e outro, toma um suco ou come uma fruta. ‘Sozinho, não me arrisco a sair nem na calçada..’

Uma sala de audiências virou dormitório, com três beliches e televisão. Quando o juiz precisa cortar o cabelo, veste colete à prova de bala e sai com a escolta. ‘Estou aqui há um ano e nem conheço a cidade.’ Na última ida a um shopping, foi abordado por um traficante. Os agentes tiveram de intervir. Hora extra. Azar do tráfico que o juiz tenha de ficar recluso. Acostumado a deitar cedo e levantar de madrugada, ele preenche o tempo com trabalho. De seu ‘bunker’, auxiliado por funcionários que trabalham até alta noite, vai disparando sentenças. Como a que condenou o mega traficante Erineu Domingos Soligo, o Pingo, a 26 anos e 4 meses de reclusão, mais multa de R$ 285 mil e o confisco de R$ 2,4 milhões resultantes de lavagem de dinheiro, além da perda de duas fazendas, dois terrenos e todo o gado. Carlos Pavão Espíndola foi condenado a 10 anos de prisão e multa de R$ 28,6 mil. Os irmãos , condenados respectivamente a 21 anos de reclusão e multa de R$78,5 mil e 16 anos de reclusão, mais multa de R$56 mil, perderam três fazendas. O mega traficante Carlos Alberto da Silva Duro pegou 11 anos, multa de R$82,3 mil e perdeu R$ 733 mil, três terrenos e uma caminhonete. Aldo José Marques Brandão pegou 27 anos, mais multa de R$ 272 mil, e teve confiscados R$ 875 mil e uma fazenda.

Doze réus foram extraditados do Paraguai a pedido do juiz, inclusive o ‘rei da soja’ no país vizinho, Odacir Antonio Dametto, e Sandro Mendonça do Nascimento, braço direito do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. ‘As autoridades paraguaias passaram a colaborar porque estão vendo os criminosos serem condenados.’ O juiz não se intimida com as ameaças e não se rende a apelos da família, que quer vê-lo longe desse barril de pólvora. Ele é titular de uma vara em Campo Grande e poderia ser transferido, mas acha ‘dever de ofício’ enfrentar o narcotráfico. ‘Quem traz mais danos à sociedade é mega traficante. Não posso ignorar isso e prender só mulas (pequenos traficantes) em troca de dormir tranqüilo e andar sem segurança.’

ESTE MERECE NOSSOS APLAUSOS!

POR ACASO A MÍDIA NOTICIOU ESSA BRAVURA QUE O BRASIL PRECISA SABER? NÃO, AGORA SE ELE FOSSE UM BBB… APARECIA EM TUDO!

POR FAVOR, FAÇA A SUA PARTE!

DIVULGUE O MÁXIMO QUE PUDER!!

WAR

O terreno da santidade vai sendo conquistado palmo a palmo. Avançando dia após dia. Uma vitória, uma conquista, muito mais da graça de Deus agindo em nós do que de nós mesmos.

Na verdade, a nossa parte está em colaborar com a imensa, infinita graça divina que misericordiosamente nos ama e nos atrai a si.

Por outro lado, existe a “perda de terreno”. Ela vai acontecendo quando cedemos espaço ao pecado, dia após dia, pela repetição de hábitos maus, que são a origem dos vícios. Talvez você possa perceber na sua vida esses dois movimentos. Pela ação da graça de Deus você vai tomando gosto pela oração, pela Palavra de Deus, pelos sacramentos, pelas verdades da fé. E vai avançando na virtude, deixando de lado aquilo que você gostava tanto mas que viu que não era da vontade de Deus. Isso não é um peso, embora possa ser difícil certas renúncias a princípio, mas movido pelo amor você avança mais e mais e não quer retroceder. Você fica impressionado consigo mesmo pois se vê fazendo coisas santas das quais jamais se imaginou capaz de realizar na sua vida. E até mesmo se admira pelo fato de ter vivido de outra forma, longe de Deus algum dia. Por exemplo, conheci algumas meninas que dizem: “meu Deus, como eu fui capaz de vestir roupas tão curtas!? Como fui capaz de me entregar assim tão facilmente, por carência, aos rapazes!?”

Em outros momentos da sua vida você pode ter caído em alguns pecados, cedido a algumas tentações pequenas, sem dar o devido esforço e atenção a uma arrependimento sincero também dessas pequenas coisas. Como uma semente maligna, a erva daninha vai crescendo. Um dia foi uma falta de paciência com um irmão, uma palavra maldosa sem pensar direito; outro dia foi um comentário deliberado que foi-se tornando verdadeira fofoca. Um dia foi aceder a um pensamento impuro, um olhar sem castidade para alguém mas, sem o devido cuidado, a coisa foi aumentando, passou-se do olhar aos pensamentos e imaginações, a ver imagens deliberadamente nas publicidades, na TV até que… aquilo que você jamais imaginaria fazer (ou voltar a fazer): “acidentalmente” você clicou onde não devia na internet (não foi o blog do Pe. Leonardo!) e viu uma foto, que depois levou a outra… mas o demônio e a sua concupiscência não se deu por satisfeita e, da próxima vez, você clicou não mais tão “acidentalmente” e não foi só uma imagem, mas um vídeo… bom, já chega.

Já chega! Esse é o grito de quem já percebeu que “deu terreno demais ao inimigo”. Sim, o nosso coração, nossa alma, todo o nosso ser pertence a Deus. Deixar o pecado entrar é dar espaço ao inimigo, deixar que ele conquiste o nosso coração, roube o que não lhe pertence mais! O demônio (e a nossa maldade) nunca estará satisfeito. Avançando de pouco em pouco ele quer conquistar tudo! Depois de alguns anos você se vê fazendo, dizendo, agindo como JAMAIS imaginou desde sua experiência com Deus! Lembro-me agora daquele jogo de tabuleiro muito famoso: WAR. Quem já jogou WAR?

Caríssimos, acredito que muitos de vocês já viram isso acontecer, seja em si mesmos seja em outras pessoas. Existe um ditado latino que diz corruptio optimi pessima est – que siginfica: a corrupção dos ótimos é a pior que existe! Talvez já tenhamos visto tristemente algumas pessoas que nós considerávamos avançados na santidade retroceder a um estado pior que o anterior ao seu encontro com Deus. Isso não foi “de repente”, como não é instantânea a nossa conversão. Porém, devido à nossa natureza manchada pelo pecado e carregada de concupiscência, a “desconversão” por mais terrível que seja, pode ser mais rápido do que alguém imagina.

Cuidemos do dom precioso de Deus que há em nós. Vigiemos sobre a nossa vida para que não aconteça que, começando pelo Espírito, terminemos na carne.

A ALEGRIA DO SENHOR

O ADVENTO É ALEGRIA

Uma coisa que acho muito importante de modo especial nesse tempo é frisar que o advento é um tempo de ALEGRE ESPECTATIVA. É uma preparação cheia de esperança e felicidade. Como diz um hino usado na liturgia das horas desse tempo, é como esperar o carteiro que traz a carta de uma pessoa querida, como esperar a chuva no nosso sertão árido, como uma mãe espera um filho ou um filho espera que o seu pai vá assistir sua partida de futebol.

Dento dessa perspectiva, me preocupo com pregações insistentemente pesadas e massacrantes, no sentido negativo, que mostram o tempo do Advento como um tempo de penitência e conversão. Bom, é óbvio que toda a nossa vida deve ser uma contínua busca de conversão, de santidade, mas não concordo que devemos sempre estar pensando nisso em modo negativo e pesado.

Quando nos preparamos para receber uma pessoa querida, para uma festa, é claro que trabalhamos com afinco, mas isso é um trabalho mais que feliz e animado. Alguém que prepara uma festa não está de cara triste ou cansada, embora dê trabalho.

Acredito que existem momentos especiais na nossa vida no qual temos que lutar com todas as nossas forças, nos penitenciar seriamente, jejuar, renunciar a coisas agradáveis para extirpar  a erva daninha do pecado. De modo especial a Igreja nos apresenta a quaresma como este tempo forte de conversão, renúncia e penitência.

Enfim, que o nosso coração nesse tempo tão lindo e especial da Igreja nos ajude a cultivar essa grande virtude tão facilmente esquecida pelo nosso afã de radicalidade: a alegria do Senhor – ela é a nossa força!

Você é a favor da discriminação aos homossexuais?

Recebi esse texto de uma amiga consagrada e missionária. Vale a pena conferir!


(uma armadilha usada pelos defensores do PLC 122/2006)

Definindo os termos

Neste artigo, ao falar de homossexualismo, estou-me referindo, não à simples tendência homossexual, mas à prática da união carnal entre pessoas do mesmo sexo. Ao falar de homossexual, não me refiro às pessoas que têm tendência homossexual e a ela resistem, às vezes heroicamente, com grande mérito. Chamo de homossexual a quem voluntariamente pratica atos de homossexualismo, e deles não se arrepende.

Feitas essas distinções, prossigamos.


Discriminar é preciso

A discriminação é uma das práticas mais normais da vida social. Todos nós a praticamos dia a dia. Ao aplicar uma prova, o professor discrimina os alunos que tiraram notas altas daqueles que tiraram notas baixas. Aqueles são aprovados. Estes são reprovados. Ao escolher o futuro cônjuge, as pessoas geralmente fazem uma discriminação rigorosa, baseadas em diversos critérios: qualidades morais, inteligência, aparência física, timbre de voz, formação religiosa etc. Entre centenas ou milhares de candidatos, somente um é escolhido. Os outros são discriminados. Ao selecionar seus empregados, as empresas fazem uma série de exigências, que podem incluir: sexo, escolaridade, experiência profissional, conhecimentos específicos, capacidade de relacionar-se com o público etc. Certos concursos para policiais ou bombeiros exigem, entre outras coisas, que os candidatos tenham uma determinada altura mínima, que não ultrapassem uma certa idade e que gozem de boa saúde. Todos esses são exemplos de discriminações justas e necessárias.

Outros poderiam ser dados. O ladrão que é apanhado em flagrante é preso. A ele, como punição pelo furto ou roubo, é negada a liberdade de locomoção, que é concedida aos demais cidadãos. A prisão é um lugar onde, por algum tempo, são discriminados — com justiça — aqueles que praticaram atos dignos de discriminação.


“Você é a favor da discriminação aos homossexuais?”

Essa pergunta é capciosa e deve ser respondida com outra pergunta: “A qual discriminação você se refere: a justa ou a injusta?”

O militar que praticar ou permitir que com ele se pratique ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito à administração militar é justamente discriminado com a pena de detenção de seis meses a um ano (cf. art. 235, Código Penal Militar, “pederastia ou outro ato de libidinagem”). Mas seria injusto discriminá-lo, por exemplo, negando-lhe a alimentação que é dada aos demais presos militares.

O homossexual, por ter escolhido livremente praticar o vício contra a natureza, deve arcar com o ônus de sua opção. Não pode exigir que um seminário o acolha para que ele se torne sacerdote. Nem pode querer impedir que, em uma homilia, um pregador reprove sua conduta. Não pode queixar-se de seu empregador querer demiti-lo temendo a corrupção moral de sua empresa. Não pode exigir que um juiz da infância lhe dê uma criança para adotar. Não pode obrigar uma mãe de família a confiar nele para cuidar de seus bebês. Não pode forçar a população a tolerar seus atos de obscenidade praticados em público. Tudo isso são apenas alguns exemplos de discriminações justas, que não são nem podem ser proibidas pela lei.

Ao referir-se à “discriminação” aos homossexuais, o Catecismo da Igreja Católica teve o cuidado de distinguir: “evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta” (n.º 2358). O texto supõe, portanto, que a Igreja admite discriminações justas para com os homossexuais. E de fato admite. Uma delas é a proibição de receberem a Sagrada Comunhão, enquanto não abandonarem seu pecado (o que vale também para qualquer outro pecado grave). Outra é a impossibilidade de serem admitidos em seminários e casas religiosas.


PLC 122/2006: a incriminação da discriminação justa

Está em tramitação no Senado um projeto de lei (PLC 122/2006) que pretende exaltar o homossexualismo e incriminar toda discriminação justa aos homossexuais. A proposição trata o vício contra a natureza como se ele fosse um direito e os opositores desse vício como se fossem criminosos (“homofóbicos”).

Para facilitar a aprovação do projeto, a relatora senadora Fátima Cleide (PT/RO) em 14/10/2009 propôs um substitutivo na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Esse substitutivo é menos extenso que a versão original, mas conserva toda a sua essência: punir a discriminação justa feita a alguém em virtude de sua “orientação sexual”[1].

Para disfarçar o essencial objetivo da proposta, que é exaltar o vício contra a natureza e punir penalmente seus opositores, a relatora acrescentou a “condição de pessoa idosa ou deficiente” entre as vítimas do “preconceito”.

Em 10 de novembro de 2009, o substitutivo foi votado e aprovado às pressas na CAS. Ora, estava prevista a realização de uma audiência pública sobre a matéria. Por isso, ninguém esperava que a votação pudesse ocorrer imediatamente. O golpe foi dado por Fátima Cleide.

Naquele dia a senadora apresentou o requerimento nº 96, de 2009 (item 61 – extrapauta) solicitando a dispensa da audiência pública. O requerimento foi aprovado. Imediatamente, o projeto (PLC 122/2006) foi posto em votação (item 62) e aprovado. Eis a lista dos senadores que aprovaram o PLC 122/2006 na CAS por votação simbólica:

1.      Senador Augusto Botelho (PT/RR)

2.      Senador Eduardo Suplicy (PT/SP)

3.      Senador Flávio Arns (PSDB/PR)

4.      Senador Gim Argello (PTB/DF)

5.      Senador Heráclito Fortes (DEM/PI)

6.      Senador Inácio Arruda (PC do B/CE)

7.      Senador João Durval (PDT/BA)

8.      Senador Mão Santa (PSC/PI)

9.      Senador Papaléo Paes (PSDB/AP)

10.  Senador Roberto Cavalcanti (PRB/PB)

11.  Senador Valdir Raupp (PMDB/RO)

12.  Senadora Fátima Cleide (PT/RO), Relatora

A história não para aí. O projeto, já aprovado na CAS, foi enviado à Comissão de Direitos Humanos (CDH). Adivinhe quem o presidente da CDH, Senador Cristóvão Buarque (PDT/DF), escolheu como relator da matéria! Acertou: a própria senadora Fátima Cleide (PT/RO). Obviamente o seu relatório, apresentado na CDH em 17/11/2009 foi o mesmo que o que foi aprovado na CAS, com o mesmo substitutivo.

Na sessão de 18/11/2009 na CDH, o Senador Magno Malta (PR/ES) pediu vista do projeto. No dia 25/11/2009 ele apresentou requerimento para realização na CDH da audiência pública sobre a matéria, que não fora feita na CAS.

Atualmente o clima do Senado é tenso. Um novo golpe pode ser dado a qualquer momento. Há ainda o perigo de que cristãos, incluindo os pastores de almas, queiram aproveitar algo do PLC 122/2006 em vez de rejeitá-lo totalmente. Deus se compadeça de nós.

Anápolis, 4 de dezembro de 2009

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

Presidente do Pró-Vida de Anápolis


[1] O texto parte da premissa falsa de que existe “orientação sexual” entre dois homens ou entre duas mulheres. Na verdade, o que existe em tais casos é uma desorientação sexual