Eleja a melhor resposta

Respostas REAIS dadas por candidatos a emprego, extraídas da Revista Exame.

Entrevistador – Então, você está construindo um networking?
Candidato – Veja bem, eu não sou engenheiro, sou administrador.

Entrevistador – Como você administra a pressão?
Candidato – Ah, tranquilo. 11 por 7, no máximo 12 por 8.

Entrevistador – Manter sempre o foco é muito importante. E me parece que você tem alguns lapsos de concentração.
Candidato – O senhor poderia repetir a pergunta?

Entrevistador – Como você se sente trabalhando em equipe?
Candidato – Bom, desde que não tenha gente dando palpite, me sinto muito bem.

Entrevistador – Como você se definiria em termos de flexibilidade?
Candidato – Ah, eu faço academia. Sou capaz de encostar o cotovelo na nuca.

Entrevistador – Nós somos uma empresa que nunca pára de perseguir objetivos.
Candidato – Que ótimo. E já conseguiram prender algum?

Entrevistador – Vejo que você demonstra uma tendência para discordar.
Candidato – Muito pelo contrário.

Entrevistador – Em sua opinião, quais seriam os atributos de um bom líder?
Candidato – Ah, são várias coisas. Mas a principal é ter liderança.

Entrevistador – Noto que você não mencionou a sua idade aqui no currículo.
Candidato – É que eu uso óculos, e isso me faz parecer mais velho.
Entrevistador – E qual é a sua idade?
Candidato – Com óculos ou sem óculos?

Entrevistador – Quais seriam seus pontos fracos?
Candidato – Ah, é o joelho. Até tive de parar de jogar futebol.

Entrevistador – Há alguma pergunta que você queria me fazer?
Candidato – Eu parei meu carro lá na rua. Será que eu vou ser multado?

Entrevistador – Por que, dentre tantos candidatos, nós deveríamos contratá-lo?
Candidato – Eu pensei que responder a isto fosse seu trabalho.

Entrevistador – Como você pode contribuir para melhorar nosso ambiente de trabalho?
Candidato – Bem, eu começaria trocando a recepcionista, que é muito feia.

Entrevistador – Várias pessoas que se sentaram aí nessa mesma cadeira hoje são gerentes.
Candidato – Puxa, o fabricante da cadeira vai ficar muito feliz em saber disso.

Entrevistador – Quando digo ‘Sucesso’, qual a primeira palavra que lhe vem à mente?
Candidato – Pode ser duas palavras?
Entrevistador – Pode.
Candidato – Milho. Nário. (essa matou!)

Anúncios

Ainda jovem?

Um dia desses conversando com um amigo de cerca de 20 anos escutei o seguinte comentário: “eu não sou mais jovem, sou um adulto”. Claro que eu comecei a rir dele. Afinal, quando a gente vai passando muito dos 30 a gente vai entendendo que a vida é mais longa do que o que pensávamos antes dos 30.

Lembrei-me de um episódio parecido que aconteceu comigo logo quando cheguei à Itália. Eu estava perto de completar 30 anos e, conversando com uns amigos italianos, disse que não era mais jovem. Eles começaram todos a rir de mim, achando muito engraçado a minha observação, porque, para eles, eu era sim um jovem. Eu quase não acreditava naquilo, até que, lendo um jornal um dia no trem me deparei com a seguinte notícia: “assassinado um jovem de 30 anos”. Engraçado essas coisas de diferença cultural. Se pensarmos na idade média, ou mesmo há pouco mais de 100 anos atrás, uma pessoa com 30 anos estava próximo ao fim da vida. Com 40 anos você já era bastante velho pois a expectativa de vida na idade média não passava dos 40.

Na Europa, na velha Europa, onde a quantidade de jovens é muito pequena comparada ao Brasil e a expectativa de vida é bem maior, o conceito de juventude muda em comparação a nós. Mas voltemos ao meu amigo de 20 anos. Quero deixar bem claro que eu tenho 36 anos e não me considero jovem, já não me considerava aos 30! Mas afinal, até que idade vai a juventude? Isso é relativo? De certa forma, sim. Como eu disse, o que é jovem na Europa, na velha Itália, não o é mais aqui no jovem Brasil. Mas acredito que aqui temos um problema: identificar a juventude com a adolescência. Que absurdo isso! Claro que um jovem de 20 anos é um jovem. Os psicólogos defendem a teoria que a adolescência hoje em dia se estende até mesmo aos 24 anos, quando o jovem termina o curso superior. Na verdade, nós brasileiros (graças a Deus) amadurecemos mais rápido que os italianos, especialmente os homens. Entramos e saímos da faculdade mais rápido, começamos a trabalhar com menos idade e, normalmente, nos casamos bem mais cedo. Temos mais filhos pois as mulheres começam a gerar bem mais cedo. Claro que isso está mudando, na medida que vamos ficando menos pobres, vamos ficando mais parecidos com o patamar dos países desenvolvidos, no melhor e no pior.

Mas esse post não é para falar de desenvolvimento econômico e cultural, e sim, para falar de um problema que ao meu ver está na raiz do comentário desse meu amigo. O mundo consumista, hedonista e todos os “istas” que você quiser supervaloriza, isso mesmo, supervaloriza a figura do adolescente. Ser adolescente é o ideal de beleza, de consumo. Sabe porque? Porque isso dá lucro. Tudo o que o mundo incentiva e apóia é o que dá dinheiro. Dá dinheiro porque o adolescente é muito consumista. Ele quer estar na moda para não ser diferente, quer vestir roupa de marca para se afirmar, quer ter o celular de última geração (mesmo sem necessidade), o tênis mais caro, etc. Dá lucro, muito lucro, inclusive para o governo, incentivar a promiscuidade sexual e a cultura gay. Basta olhar para o “fortal”. Imaginem que com tantas ruas nos buracos de nossa cidade (Fortaleza) o governo constrói uma super avenida que liga a Cidade 2000 à praia do Futuro só por causa do fortal!!!

Claro que o consumismo não é uma característica só do adolescente, mas isso está muito presente e é, de certa forma, normal. Por essa supervalorização da adolescência, pelo fato de termos que amadurecer rapidamente para assumirmos responsabilidades no mundo do trabalho por causa da nossa fragilidade econômica, por causa de preconceitos culturais, não queremos mais considerar a faixa que vai dos 20 aos 30 como juventude. É até motivo de piada quando uma pessoa de mais de 25 se diz jovem.

Caríssimos, por fim, gostaria de deixar essa mensagem: não confundamos adolescência com juventude. A juventude engloba duas fases: a adolescência e a juventude na maioridade. Isso é importante para não queimarmos etapas e para não deixarmos de viver aquilo que é maravilhoso e se chama HOJE. Há adultos casados, pais de filhos que, por não terem vivido a juventude, regressam. Conheci um homem casado que deixou a esposa e vários filhos adolescentes para curtir a vida em farras e no surf! Tem cabimento? A resposta que ele deu para a família foi: “vou viver a vida que eu não vivi”. Triste resultado.

Vivermos cada momento com sabedoria na alegria e na simplicidade nos faz mais felizes.

Acho esse tema bastante interessante e vasto. Gostaria da opinião de vocês de modo pessoal. Convido a colocarem aqui comentários sobre essa assunto para que nós possamos aprofundá-lo. Um grande abraço.

Olhar a Luz

Trevas cobrem a face da Terra. Trevas envolvem a humanidade e também o meu, o seu coração. Trevas do pecado. Desobediência direta e voluntária ao Criador.

Trevas porque nos encontramos distantes da Luz que é Deus; o clarão de sua face não brilha sobre nós porque demos as costas a Ele. Somente Deus pode nos dar a PAZ. Só e somente só Deus pode nos fazer felizes. Mas os homens preferiram as trevas à luz pois suas ações eram más.(cf. Jo 3,19)

Imediatismo é a característica de quem perdeu o vínculo com a eternidade, quem esqueceu as suas origens: de Deus viemos e para Deus devemos caminhar. As trevas cegam os nossos olhos, o apego ao prazer, ao poder e ao possuir nos destroem completamente.

Se pensarmos bem, foi Deus quem nos deu essas três coisas: prazer, poder e possuir. Foi Deus mesmo que colocou no nosso corpo, nos nossos sentidos, na nossa mente o prazer! Ele, para nosso bem, para que tivéssemos a vida, nos deu o prazer de comer, de estarmos juntos. Nos deu o prazer sexual; o prazer no cheirar, no tocar, enfim, no corpo e no nosso coração. O prazer é a manifestação do amor e da vida.

Foi Deus quem nos deu o poder. Sim, ele mesmo disse que deveríamos dominar a Terra. Ele nos deu poder uns sobre os outros para vivermos em sociedade. Poder dos pais sobre os filhos, dos líderes para com os súditos. Acima de tudo ele nos deu o imenso, incomensurável poder da inteligência.

Por fim, Deus nos deu também a posse. Para nós foram feitos os Céus e a Terra! Ele nos deu tudo. Tudo é nosso. Não podemos viver sem a posse ou sem o uso das coisas. Isso é vontade e ordem do Criador.

Porém, desordenados, longe de Deus, sem a luz que emana da Fonte, sem a sabedoria Espírito, enfim, sem o AMOR, tudo isso transforma-se em desgraça, morte e destruição, em uma palavra: TREVAS.

Reencontraremos a paz e a felicidade, encontrando a luz. Perseguindo a luz de Deus reordenaremos a nossa vida e colocaremos tudo no seu devido lugar. Isso acontecerá somente olhando para Deus e deixando que ele mesmo nos restaure, nos salve!

Essa mensagem da Luz que ilumina as trevas é a mensagem do Natal e da Epifania. Os reis magos encontraram a luz que emana da face de Deus porque olharam para o alto, para a estrela, para o sinal no céu que o Pai lhes mostrou. Sem olharmos para o alto, sem buscarmos as coisas do alto nós não encontramos a luz. Olhando somente para “esse chão”, para as coisas da terra, para as coisas que passam, jamais enxergaremos a estrela que nos mostra o caminho da paz.

Deus se faz encontrar a quem o busca. Os reis do oriente não faziam parte do povo de Deus, não conheciam sequer as escrituras de Israel. Eles seguiram aquilo que Deus se utilizou para falar-lhes. Eles encontraram o Deus Menino porque tinham sede e o buscaram. Mesmo que Deus se utilize de outros instrumentos para nos falar e para nos atrair a Si, no fim, é a sua Palavra quem nos guia ao caminho certo. Foram os doutores da lei, os estudiosos das escrituras quem disseram para os magos que eles deveriam ir a Belém. É a Palavra de Deus quem nos revela exatamente onde encontrar a paz, onde encontrar Deus.

Que nesse ano de 2010 tenhamos todos o nossos olhos voltados para as coisas do alto, iluminados pela palavra de Deus, possamos deixar que a face divina resplandeça sobre nós e nos dê a verdadeira PAZ.

Feliz ano novo!

Queridos amigos, estou em falta com vocês.

Reconheço e peço desculpas. O mês de dezembro é bastante agitado e eu me deixei levar pela acomodação.

Mas ano novo, vida nova, e é tempo de renovar as esperanças, de renovar o desejo de que tudo seja melhor, de recomeçar.

RECOMEÇAR. Essa palavra é muito importante para nós. Alguém pode dizer fria e racionalmente que o “ano novo” é apenas uma convenção, que o dia 01/01 não tem nada de diferente do dia 31/12. Será? Digamos que “tecnicamente” é verdade, mas nós, seres humanos, somos também sensíveis, temos uma alma, um coração. Para nós é muito importante marcar etapas, virar páginas. Não conseguimos viver sem os símbolos, eles caracterizam a nossa inteligência, a nossa civilização.

Mas eu queria deixar hoje apenas uma breve mensagem: Feliz ano novo. Feliz 2010! Mas você lembra do que lhe disseram no dia 31/12 de 2008? Ou nos primeiros minutos do ano de 2009? Aquilo que você desejou, realizou-se? Cumpriu-se? Como foi o seu ano de 2009? Sim, é importante lembrar disso, não concorda? Porque se queremos que o ano de 2010 seja melhor do que o ano de 2009, então devemos pensar no que podemos corrigir de falhas e no que podemos investir nos acertos.

Eu recebi um presente hoje com um cartão que dizia assim: “Pe. Léo… bla bla bla… um feliz natal e um ano novo com muita prosperidade”. Nada de tão estranho, se não tivesse vindo de um cristão convicto. Prosperidade? Como assim? O que é a prosperidade para um cristão? Achei estranha essa expressão pois estou acostumado a dizer e escutar: um 2010 na bênção, na graça de Deus; um ano novo cheio de paz e amor; que o Espírito Santo te conduza nesse 2010… etc. Não escuto nem uso a palavra prosperidade pois me parece meio mundana, ou, no mínimo, meio IURD…

Mas no fundo a palavra não está mal aplicada e eu, pensando bem, desejo a todos vocês muita PROSPERIDADE!

Prosperem no amor!

Prosperem na fé!

Prosperem na esperança!

Prosperem na graça de Deus!

Que em 2010 sejamos mais santos e, portanto, mais felizes. Cresçamos mais um pouco para alcançar a estatura do homem perfeito: Cristo Jesus.

Abraço a todos!