Não descuidar da tríplice dimensão do sacerdócio

Cardeal Odilo Scherer falou a presbíteros em encontro nacional
SÃO PAULO, segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer, recordou esse domingo com sacerdotes brasileiros “a tríplice compreensão do nosso ministério sagrado”. Dom Odilo falou a cerca de 500 padres reunidos em Itaici (Indaiatuba, São Paulo), para o Encontro Nacional de Presbíteros.

No dia da ordenação sacerdotal – assinalou o prelado – “fomos ungidos e consagrados pelo Espírito Santo para o serviço do sacerdócio de Jesus Cristo; ele é o Profeta de Deus (Palavra de Deus), o Sacerdote do Altíssimo (santificador) e o Pastor e guia da humanidade”.

No exercício do múnus profético, “sejamos sacerdotes devotados à Palavra de Deus, servindo a Cristo, ‘Palavra da salvação’, verdade de Deus para a vida do mundo”.

O cardeal desejou que, através dos padres, o povo “ouça, acolha, ame e viva a Palavra de Deus, fonte da fé, luz para vida, conforto para a alma”. Advertiu que “não deve faltar a boa pregação, sobretudo na homilia dominical”, e que “não falte ao povo a formação na fé”.

“Como mestres da verdade do Evangelho, não nos omitamos, nem tenhamos medo de defender a fé do povo, quando preciso for, sempre em sintonia com o Magistério da Igreja. Não somos pregadores de uma verdade ‘nossa’, mas, servidores da verdade de Deus e da Igreja”, disse o cardeal.

Dom Odilo recordou ainda que os presbíteros são chamados a ser “ministros do sacerdócio de Cristo, para a santificação do povo, celebrando com ele e por ele os ‘mistérios da vida e da santidade’, nos sacramentos”.

Nesse contexto, “lugar destacado deve ter a Eucaristia e a confissão”. Ele insistiu na necessidade da “celebração diária da Eucaristia, com muito povo, ou com apenas poucas pessoas”.

“Celebramos sempre com a Igreja toda, por ela e em nome dela, mesmo quando, visivelmente, ela não está presente. Sem a Eucaristia diária, o sentido próprio de ser padre vai se diluindo”, afirmou o arcebispo.

“Mas o serviço sacerdotal também deve nos levar a ensinar o povo a rezar, a fazer oração diante dele e com ele, por suas necessidades e aflições; a incentivar a oração pessoal, as devoções e a religiosidade popular”, assinalou.

Dom Odilo considera que “seria desejável” que em todas as nossas igrejas houvesse a adoração eucarística, uma vez por semana. Também a iniciação à liturgia das Horas, que “poderia ser introduzida nos domingos à tarde, antes da Missa vespertina”.

O cardeal pediu ainda que os padres sejam “bons pastores do povo, a exemplo de Cristo, Bom Pastor”.

“Não abandonemos o bem espiritual do povo, com o pretexto de resolver primeiro problemas ‘sociais’, que competem por dever de ofício a outros agentes sociais. O povo, antes de tudo, espera receber de nós as atenções de ministros de Deus”, disse.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s