Aniversário de casamento

A esposa sempre lembra.

O esposo… tem que lembrar! Depende de quantos anos faz, depende do casal, mas, dizem os casados, que a mulher é sempre mais interessada nesse assunto.

Existem datas muito importantes na nossa vida. A mais importante de todas, a gente goste ou não (mas normalmente todo mundo gosta) é o dia da vida! O dia em que vimos a luz desse mundo (ou a fluorescente do hospital, tanto faz) pela primeira vez.

Esse dia é muito bom. Revela que estamos ficando mais velhos, mas isso não importa. O que importa é que, como dizem os baianos, é o dia da nossa estréia!

Mas, voltemos para outras datas. Para nós cristãos, existe um dia que nunca, jamais deveríamos esquecer, mas a nossa cultura não preservou como de suma importância: o nosso batismo! Sim, nesse dia, nascemos para Deus! Outro dia de imensa importância para qualquer cristão é o dia da sua crisma e da sua primeira comunhão. Sinto dizer que, infelizmente, eu entro nessa lista dos que não sabem as datas desses gloriosos dias em minha vida. Mas minto, eu sei o dia de minha crisma. Eu tinha 15 anos e foi no dia de Santa Teresa d’Ávila, portanto, deu pra lembrar e saber até mesmo quantos anos faz.

Contudo, fica sempre marcada na vida do cristão (ou não) uma data muito importante, porque ele esperou anos a fio por essa data, porque ela é embebida com amor humano, porque a partir dela a sua vida não é mais a mesma: o casamento! Infelizmente, nem todos casamentos vão bem, e isso é muito triste. Mas não é disso que estou falando. Estou falando da comemoração que nada mais é que reviver de algum modo aquele dia “mais feliz da sua vida” e que você faz questão de partilhar com quem interessa, no caso dos esposos, um com o outro e talvez com os amigos e filhos.

Não quero ser melancólico, não. Estou já acostumado. Mas de ontem pra hoje me veio o desejo de escrever esse texto. Talvez para preencher o meu blog que há muito não vê um texto de minha autoria, talvez para me lamentar mesmo, para… sei lá. Não me julguem mal, por favor.

Eu sou casado. Com a Santa Igreja. Esse ano foi especial. Ano sacerdotal onde nós pudemos aprofundar o imenso e imerecido dom do sacerdócio à sua Igreja. Bom, você já se tocou a essa altura do que eu estou falando. Dia 29 de junho eu fiz “aniversário de casamento”. Antes de ontem completei 8 anos de padre. Para mim, oito anos de grande felicidade. Se eu não fosse padre… bom, esse “se” não existe! Não é concebível. Como padre, sinto-me esposo da Igreja e, no Amor, gero filhos para Deus. Esses filhos me chamam de padre (= pai) e eu os chamo pelo nome, mas, quem me conhece sabe que a maioria dos que eu considero de fato, mesmo, chamo de filho ou filha e muitos deles me chamam de pai.

Pois é galera, sabe quem lembrou de mim no último dia 29? Minha mãe. Tinha que ser a mãe mesmo! Mas deixa eu esclarecer uma coisa: minha mãe é fissurada em datas. Ela é capaz de lembrar o aniversário da empregada da casa da minha avó há 40 anos atrás e do carteiro que entregava correspondência quando ela era criança, ou da vizinha da cunhada do dono da padaria. Mas, como se não bastasse, a providência fez com que eu fosse ordenado padre quatro anos antes do dia em que nascia, nada mais nada menos, que meu primeiro sobrinho, ou seja, o primeiro neto de minha mãe. Será que ela iria lembrar?

Nem meu bispo, nenhum paroquiano, nenhum dos jovens ou dos amigos que estiveram comigo no dia de minha ordenação e continuam ao meu lado até hoje, lembraram (esclarecendo, meu bispo estava doente, o secretário esqueceu ou o correio não mandou o cartão a tempo). Na verdade, o pessoal da minha célula “lembrou” porque estava no quadrante! Também um colega de infância que mora em outro estado mandou um recado no Orkut e uma de minhas irmãs mandou um sms. Estão vendo como estou reclamando de barriga cheia?

Mas deixa eu também me acusar, confessar o meu pecado. Junto comigo foi ordenado um amigo. Ele é mais jovem do que eu alguns anos. Eu, óbvio, lembrei dele, mas não me dignei mandar sequer um e-mail, só no outro dia. Ele também não me deu os parabéns, nem respondeu meu e-mail, mas isso não quer dizer nada, não é?

Estava falando com um amigo, um jovem, no MSN ontem e fiz o seguinte comentário: “cara, tu sabia que hoje fazem oito anos que o Brasil é penta-campeão?” Ele me respondeu: “é mesmo?” A pergunta que eu queria mas ao mesmo tempo temia mas que ele não fez: “como é que você sabe?” Porque a resposta seria: “porque no dia em que eu celebrava a primeira missa e erguia pela primeira vez o cálice da salvação, o capitão do time erguia a taça, em 2002”. Eu tive muito medo que o comentário seguinte, terminando o diálogo, fosse: “É mesmo?”…

Queridos amigos, me desculpem de coração. Sei que não estou sendo humilde, sei que isso parece muita arrogância de minha parte, mas estou escrevendo isso porque acho que, no fundo, não é a mim que vocês tinham que dar os parabéns, não é só por mim, embora eu gostaria muitíssimo de ter dividido essa imensa alegria com muitas pessoas, com aquelas para as quais eu fui ordenado padre, mas acredito também que isso deve ser uma questão de conversão de nossa parte. Como eu falei no início, deveríamos também fazer festa, e grande, para o aniversário de Batismo, por exemplo.

Sei que estou correndo o risco de que, daqui a um ano, eu tenha provocado uma festa muito espontânea ou muitos sinceras lembranças de parabéns… Pois tá bom, não vou mais me justificar, se você é meu amigo ou irmão de comunidade e foi às lágrimas com esse texto melodramático, pelo menos reze por mim, aceito orações post-festa!

Abração!!!

Deus abençoe a todos.

9 pensamentos sobre “Aniversário de casamento

  1. Primeiro -> “não é a mim que vocês TINHA que dar os parabéns”.

    Segundo -> Estamos nas oitavas de aniversário sacerdotal… Parabéns!!!

  2. Sua Bênção Padre Leonardo,

    Li seu post… de fato, às vezes esquecemos as datas mais importantes, inclusive aquelas que têm um efeito eterno em nossas vidas.

    Contudo, isso não quer dizer que não sejam festejadas por quem as tenha criado e instituído… entende o que digo?

    Com certeza, Jesus e Nossa Senhora festejaram sua ordenação e seu presente ou está reservado para sua vida futura no céu, ou foi destinado, à sua revelia, a um filho anônimo por quem vc tenha prometido dedicar sua vida e ministério.

    Deus o abençoe e parabéns.

    Lister Leão

    • Lister, eu entendo o que você disse e concordo. Não quis dizer que estou “chateado”, mas acho que é mais que simplesmente comemorar. É uma questão de fé, o que é o sacerdote? Não é uma coisa só para ele, para a pessoa. Assim como o casamento não é uma festa pessoal, é dos dois. É importante e deve ser importante não para mim, mas para quem tem fé.
      Mas valeu!😉

  3. agorra,eu ja anotei o seu niver de sacerdócio em minha agenda!nao sei se lembra e mim,ma fiquei de enviar meu testemunho p vc por email para epois lhe pedir alguns consselhos,enviei duas vezes,a 1° vc me disse q nao deu certo,enviei novamente de um outro email meu,chegou?

  4. Padre Leonardo….ja anotei o seu niver de sacerdócio em minha agente,e no coraçao tb.Bom,nao sei se lembra de mim,mas fiquei de envviar o meu testemunho p emial,para depois lhe pedir algumas orientaçoes,enviei duas vezes,a primeira vez vc disse q nao chegou,entao enviei pela segunda vez, e agora,chegou?

    qualquer coisa,entre em contato comigo,
    luluciana_ce@hotmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s