Papa fala aos jovens

CASTEL GANDOLFO, domingo, 5 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – Apresentamos as palavras de Bento XVI ao rezar o Angelus neste domingo com os peregrinos, em Castel Gandolfo, depois de sua visita apostólica a Carpineto Romano.

* * *

Queridos irmãos e irmãs!

Em primeiro lugar, peço perdão pelo atraso! Volto neste momento de Carpineto Romano, onde, há 200 anos, nasceu o Papa Leão XIII, Vincenzo Gioacchino Pecci. Agradeço ao Senhor por ter podido, neste importante aniversário, celebrar a Eucaristia entre os cidadãos. Agora desejo, por outro lado, apresentar brevemente minha Mensagem – publicada nos dias passados – dirigida aos jovens do mundo para a XXVI Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em Madri dentro de pouco menos de um ano.

O tema que escolhi para esta Mensagem retoma uma expressão da Carta aos Colossenses do apóstolo Paulo: “enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé” (2, 7). É decididamente uma proposta contra a corrente! O que mais se exalta é a incerteza, a inconstância, a volatilidade… aspectos todos que refletem uma cultura indecisa no que se refere aos valores fundamentais, aos princípios em base aos quais orientar e regular a própria vida. Na realidade, eu mesmo, por minha experiência e pelos contatos que tenho com os jovens, sei bem que toda geração, mais ainda, toda pessoa individual está chamada a realizar novamente o percurso da descoberta do sentido da vida. E é precisamente por isso que quis voltar a propor uma mensagem que, segundo o estilo bíblico, evoca as imagens da árvore e da casa. O jovem, de fato, é como uma árvore em crescimento: para se desenvolver bem, precisa de raízes profundas, que, no caso de tempestades de vento, tenham-no bem plantado no solo. Assim também a imagem do edifício em construção recorda a exigência de fundamentos válidos, para que a casa seja sólida e segura.

E aqui está o coração da Mensagem: nas expressões “em Cristo” e “na fé”. A plena maturidade da pessoa e sua estabilidade interior baseiam-se na relação com Deus, relação que passa através do encontro com Jesus Cristo. Uma relação de profunda confiança, de autêntica amizade com Jesus pode dar a um jovem o que ele necessita para enfrentar bem a vida: serenidade e luz interior, capacidade para pensar de maneira positiva, grande ânimo para os demais, disponibilidade para pagar pessoalmente pelo bem, a justiça e a verdade. Um último aspecto, muito importante: para se converter em crente, o jovem nutre-se da fé da Igreja: se nenhum homem é uma ilha, tanto menos o é o cristão, que descobre na Igreja a beleza da fé partilhada e testemunhada junto aos demais na fraternidade e no serviço da caridade.

Esta minha Mensagem aos jovens leva a data de 6 de agosto, Festa da Transfiguração do Senhor. Que a luz do Rosto de Cristo possa resplandecer no coração de todo jovem! E que a Virgem Maria acompanhe com sua proteção o caminho das comunidades e dos grupos juvenis para o grande Encontro de Madri 2011.

[Traduzido por ZENIT
©Libreria Editrice Vaticana]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s