São Carlos Borromeu aos Sacerdotes

Caríssimos leitores,

Em primeiro lugar peço perdão pela minha ausência aqui no Blog. Estava muito aterefado nos últimos dias e fiz alguns dias de retiro pessoal.

Como sabemos, estamos no “ano sacerdotal” instituido pelo Papa Bento XVI. É um tempo especial de graças para os padres e leigos meditarem sobre esse dom inefável do sacerdócio de Cristo exercido por nós, ministros ordenados. Hoje é dia de São Carlos Borromeu, um santo bispo que viveu no século XVI. Achei muito oportuno publicar o texto de um discurso de S. Carlos aos sacerdotes de sua diocese. Reforço o pedido do nosso amado Papa para que rezeis por todos os sacerdotes, para que sejamos homens dignos do ministério que nos foi confiado.

são carlos borromeu

Do Sermão proferido no último sínodo por São Carlos, bispo

(Acta Ecclesiae Mediolanensis, Mediolani 1599,1177-1178)

(Séc. XVI)

Não sejas como quem diz uma coisa e faz outra

Somos todos fracos, confesso, mas o Senhor Deus nos entregou meios com que, se quisermos, poderemos ser fortalecidos com facilidade. Tal sacerdote desejaria possuir uma vida íntegra, que dele é exigida, ser continente e ter um comportamento angélico, como convém, mas não se resolve a empregar estes meios: jejuar, orar, fugir das más conversas e de nocivas e perigosas familiaridades.

Queixa-se de que, ao entrar no coro para a salmodia, ao dirigir-se para celebrar a missa, logo mil pensamentos lhe assaltam a mente e o distraem de Deus. Mas, antes de ir ao coro ou à missa, que fez na sacristia, como se preparou, que meios escolheu e empregou para fixar a atenção?

Queres que te ensine a caminhar de virtude em virtude e como seres mais atento ao ofício, ficando assim teu louvor mais aceito de Deus? Escuta o que digo. Se ao menos uma fagulha do amor divino já se acendeu em ti, não a mostres logo, não a exponhas ao vento! Mantém encoberta a lâmpada, para não se esfriar e perder o calor; isto é, foge, tanto quanto possível, das distrações; fica recolhido junto de Deus, evita as conversas vãs.

Tua missão é pregar e ensinar? Estuda e entrega-te ao necessário para bem exerceres este encargo. Faze, primeiro, por pregar com a vida e o comportamento. Não aconteça que, vendo-te dizer uma coisa e fazer outra,  zombem de tuas palavras, abanando a cabeça.

Exerces cura de almas? Não negligencies por isso o cuidado de ti mesmo, nem dês com tanta liberalidade aos outros que nada sobre para ti. Com efeito, é preciso te lembrares das almas que diriges, sem que isto te faça esquecer da tua.

Entendei, irmãos, nada mais necessário aos eclesiásticos do que a oração mental que precede, acompanha e segue todos os nossos atos: Salmodiarei, diz o Profeta, e entenderei (cf. Sl 100,1 Vulg.). Se administras os sacramentos, ó irmão, medita no que fazes; se celebras a missa, medita no que ofereces; se salmodias no coro, medita a quem e no que falas; se diriges as almas, medita no sangue que as lavou e, assim, tudo o que é vosso se faça na caridade (1Cor 16,14). Deste modo, as dificuldades que encontramos todos os dias, inúmeras e necessárias (para isto estamos aqui), serão vencidas com facilidade. Teremos, assim, a força de gerar Cristo em nós e nos outros.

Anúncios

3 pensamentos sobre “São Carlos Borromeu aos Sacerdotes

  1. Caro irmão e amigo padre Leo, destas terras distantes de Israel o guardo em minhas orações para que a chama e o desejo da santidade arda fortemente em seu coração e em sua vida! Que nada o impeça de ser bom, casto, santo, amoroso e livre como são os homens de Deus! Reze também por mim. Que sejamos pacientes neste longo caminho. Um forte abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s