Justo e Misericordioso

Olá Pessoal,

Faz um tempinho que não escrevo aqui e essa semana resolvi retornar, o que vocês acham?

Queria brevemente fazer um comentário sobre esses atributos divinos. Hoje fiquei tocado pelas palavras de Jesus no Evangelho e me pus a refletir sobre a justiça e misericórdia do Senhor. A justiça e a misericórdia andam juntas, lado a lado, de modo perfeito, como tudo em Deus. Não podemos pender nem para um lado nem para um outro, apesar de sabermos que “a misericórdia triunfa sobre o juízo”, entretanto, ela não é injusta.

Isso acende em nós a virtude do Santo Temor de Deus. Apaga o fogo da presunção orgulhosa. Não são nossos títulos, cargos, engajamentos que vão nos salvar. Não é porque pregamos ao povo, porque “comemos com ele” (fazemos comunhão na Missa) que automaticamente, simplesmente por essas práticas, seremos salvos.

Devemos nos esforçar por entrar “pela porta estreita” dos mandamentos. Devemos por em prática aquilo que acreditamos, como diz Jesus no Evangelho de hoje, devemos “praticar a justiça”.

Mas, o que é a JUSTIÇA? Certamente não devemos confundi-la ou reduzi-la com a “justiça social” tão apregoada. A justiça é dar a cada um o que lhe compete segundo os seus méritos. Portanto, o que é justo para mim não o será para um outro que não tem as obrigações, deveres e graças que eu possuo.

Enfim, não vou me delongar, só queria deixar essa breve reflexão. Ninguém estará excluído do Reino dos Céus se se esforçar por “entrar pela porta estreita”. Ao mesmo tempo, ninguém terá a garantia de que o Senhor lhe abrirá a porta apenas por títulos, cargos, ou práticas externas que não têm reflexo na vida pessoal, no amor a Deus acima de todas as coisas e no amor ao próximo como a si mesmo. Continuar lendo

Aborto masculino

O aborto é um crime diante da consciência de todo o ser humano racional e que usa essa faculdade, mas diante de Deus é também um pecado pois, tudo aquilo que vai contra a nossa natureza, é um grave pecado. Porém, vale salientar que esse pecado que exclui quem o pratica conscientemente da comunhão com Deus e com a Igreja (excomunhão), não é só um pecado feminino. Muitos HOMENS cometem o mesmo crime infame. Aqueles homens pais que mandam a filha abortar; os namorados e maridos que convencem a garota frágil, medrosa e inconsequente ao aborto; os enfermeiros e médicos que, falhando com o seu juramento de defender e preservar a vida, praticam o ato cruel e desumano (não sei como eles conseguem!) e incorrem na mesma excomunhão.

Aqueles homens (e mulheres) que votam em políticos ou partidos que claramente defendem o aborto e colocam como projeto de governo.

Deus tenha misericórdia de nós todos!

Quem vos ouve…

Pessoal, eu sei que não tenho agradado a todos, tenho sido bastante claro em algumas posições, usando do dom incomensurável da LIBERDADE que Deus me deu, sem trair jamais a verdade com retidão de consciência.

Gostaria de lembrar as palavras de Jesus aos seus discípulos: “Quem vos ouve, a mim ouve”. São palavras muito fortes e que conferem uma autoridade muito importante, enorme, àqueles que são, na Igreja, sinal visível do pastoreio de Jesus Cristo, nosso Senhor.

Faço essa premissa porque, ao meu ver, não podemos jamais, em sã consciência cristã católica, ignorar as palavras dos nossos bispos que, com grande lucidez e sabedoria, nos expõe a posição da Igreja nesse momento tão delicado no qual vivemos.

Peço a paciência, portanto, de assistirem esse vídeo.

Estamos bem sem Deus?

Como todos devem saber, o Papa está visitando o Reino Unido por esses dias. Você pode estar se perguntando.. “E o que eu tenho a ver com isso?”

Pois bem, vejam a foto que está em anexo e o site a seguir http://www.goodwithoutgod.org.uk/.

A foto diz respeito a um outdoor perto do Bellahouston Park, em Glasgow, na Escócia.  Na frase, o protesto ateu contra a visita do Papa, o maior símbolo católico cristão no mundo: “Dois milhões de escoceses estão bem sem Deus”.

E você? Não se sente incomodado ao saber que muitas pessoas acreditam viver bem sem Deus?

Evilásio Lucena
Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Telecomunicações Sem Fio – GTEL/UFC Campus do Pici
Estudante de Doutorado do curso de Engenharia de Teleinformática DETI/UFC
Vocacionado da Comunidade Católica Shalom

As dores de Maria

  • A profecia de Simeão – “E a ti, uma espada traspassará a tua alma…” (Lc 2,35)
  • A fuga para o Egito – “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito” (Mt 2,13s)
  • A perda de Jesus no Templo – “Meu filho, porque agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu, aflitos, te procurávamos” (Lc 2,48)
  • O caminho de Jesus para o calvário – “Grande multidão do povo o seguia, como também mulheres que batiam no peito e se lamentavam por causa dele” (Lc 23, 27)
  • A crucifixão de Jesus – “Chegando ao lugar chamado Caveira, lá o crucificaram…”(Lc 23,33)

  • Jesus é deposto da cruz – “… Vieram, então, e retiraram o seu corpo ” (Jo 19,38)
  • A sepultura de Jesus – “Eles tomaram o corpo de Jesus e o envolveram em faixas de linho com os aromas, como os judeus costumam sepultar…” (Jo 19,40s)

Misericórdia

CASTEL GANDOLFO, domingo, 12 de setembro de 2010 (ZENIT.org) – O segredo do cristão consiste não somente em reconhecer seu pecado, mas também em abrir-se à misericórdia de Deus, assegura Bento XVI.

Esta foi a mensagem que o Papa deixou aos peregrinos que lotavam o pátio da residência pontifícia de Castel Gandolfo, ao meio-dia de hoje, para rezar com ele a oração mariana do Ângelus e escutar suas palavras de comentário ao Evangelho de hoje, no qual Jesus apresenta as três “parábolas da misericórdia” de Deus.

Quando “fala, nas suas parábolas, do pastor que vai atrás da ovelha perdida, da mulher que procura a dracma, do pai que sai ao encontro do filho pródigo e o abraça, não se trata apenas de palavras, mas constituem a explicação do seu próprio ser e agir”, reconheceu o Pontífice, citando um dos temas centrais do seu pontificado, o amor de Deus, exposto em sua encíclica Deus caritas est.

“De fato, o pastor que volta a encontrar é o próprio Senhor que carrega nos ombros, com a Cruz, a humanidade pecadora, para redimi-la”, afirmou, recordando que o mesmo aconteceu com o filho pródigo.

“Queridos amigos, como não abrir nosso coração à certeza de que, ainda que sejamos pecadores, somos amados por Deus?”, perguntou-se o Papa.

E respondeu: “Ele jamais se cansa de vir ao nosso encontro, de ser o primeiro em percorrer o caminho que nos separa dele”.

As palavras do Papa foram um convite à confiança, recordando a oração de Moisés no Êxodo, quem, “com uma súplica confiante e audaz, conseguiu, por assim dizer, tirar Deus do trono do juízo e colocá-lo no trono da misericórdia”.

“O arrependimento é a medida da fé e graças a isso se retorna à Verdade.”

Por isso, concluiu, desvelando o segredo do cristão, “só a fé pode transformar o egoísmo em alegria e voltar restabelecer as relações adequadas com o próximo e com Deus”.

Nação Cristã

“Feliz o povo cujo Deus é o Senhor e a nação que ele escolheu por sua herança” (Sl 32,12)

Há muito tempo que fico cada vez mais estarrecido com a situação do mundo. O crescimento e a difusão da iniqüidade, do pecado institucionalizado, enraizado em nossa cultura, nossa mentalidade, nosso modo de pensar e de agir. Tudo isso tem raízes profundas e complexas. O que não se admite mais é ignorar o fato, “tapar o sol com a peneira” e fazer de conta que somos ainda uma grande nação Católica (ou, pelo menos, cristã).

Sim, é verdade que ainda somos a maioria nos dados do IBGE, que ainda temos alguma força, influência e respeito na sociedade. Mas não podemos nos iludir, nos acomodarmos e acharmos que estamos bem, que não existem graves problemas de fé e que isso não é razão de inquietação. Não estamos bem, infelizmente. Todos os dias na mídia pipocam notícias, sejam de ataques frontais à Igreja, sejam de promoção de valores não-cristãos. Gostaria de comentar somente um que surgiu recentemente, no oceano de contra-cultura cristã: o filme “Nosso Lar”. Em uma reportagem da Revista Veja do início desse mês de setembro, de cinco páginas, fala-se do filme como um “fenômeno do triunfo da cultura transcendental”. Com o título de “A nação dos espíritos” a Veja comenta coisas aberrantes:

O custo do filme foi de 20 milhões de reais! A produção mais cara do cinema nacional. E ainda acrescenta: “Tal investimento atesta o triunfo do espiritismo como referencia cultural brasileira”. Meus Deus! Vocês têm noção do que significa isso? Têm noção da seriedade dessa frase? Acha um exagero? O que a Rede Globo de televisão tem feito há anos e anos senão doutrinar e propagar através de novelas, filmes e seriados a doutrina espírita? Quantos “católicos” de missa dominical acreditam em reencarnação? Será que teríamos coragem de fazer essa pesquisa?

A Revista Veja ainda aponta o Brasil como “o país que mais entusiasticamente acolheu no mundo um fenômeno que os estudiosos chamam de ‘a nebulosa místico-esotérica’… um movimento impalpável que abarca do kardecismo às manifestações na linha da Nova Era”.

Meu Deus! A coisa é escandalosa demais para ficarmos calados! Quantas pessoas no Brasil vão sair das salas de cinemas aderindo mais ainda ao espiritismo? O que a Wicca tem crescido nos últimos anos arregimentando crianças e jovens! Wicca, para quem não sabe, é o neo-paganismo, a bruxaria, deixo aqui o link para vocês saberem melhor http://pt.wikipedia.org/wiki/Wicca. E a lista poderia continuar indefinidamente, falando sobre a balada M.I.S.S.A. e tantas outras coisas mais…

Só para aproveitar o embalo, na lista dos Best-sellers do Brasil, está um livro (dentre tantos outros anti-cristãos) que me chamou bastante atenção por dois motivos. Primeiro porque é um livro para jovens, um livro de fantasia, daqueles que os jovens (e eu) adoram ler. Segundo, o que é melhor ainda, é um livro escrito por um brasileiro, ambientado no Brasil, no Rio de Janeiro. Muito massa né? Pois é… terrivelmente bom. O livro chama-se “A batalha do Apocalipse”. Para não dizer que estou falando do que não tenho conhecimento, eu li dois capítulos desse livro. Todo “baseado” na Bíblia ele dá uma imagem totalmente distorcida, herética e blasfêmica de Deus e dos Anjos. Usa textualmente o sagrado nome de Deus, Iaweh, e dos arcanjos Miguel, Rafael, Gabriel. No livro, Deus está dormindo desde a criação quando “descansou no sétimo dia” e deixou o mundo à mercê dos anjos que fazem a farra por aqui. Os anjos se matam (como se fossem mortais), tentam destruir a humanidade, fazem guerra entre si e maluquices mil enquanto Deus (Iaweh) está dormindo ignorando tudo desde a criação até hoje. Tudo seria muito legal, muito bem bolado se não fosse uma blasfêmia. Vê-se que o autor estudou e escreveu de forma realmente profissional. Um livro brasileiro na lista dos mais vendidos nesse gênero é realmente uma boa notícia. Mas tinha que ser assim? Tinha que falar dos anjos e de Deus dessa forma?

Acorda Brasil, nação Católica! Façamos uma campanha nacional talvez intitulada: “Volta pra casa!” conclamando os cristãos a assumirem sua fé. Um Halleluya aqui no Ceará é pouco, estádios de futebol lotados em celebrações é muito pouco. Acampamentos com centenas de jovens para evangelizar é pouquíssimo! Temos que invadir a mídia, retomar o que é nosso: a cultura cristã! Temos que escrever romances Best-sellers cristãos, temos que fazer novelas campeãs de audiência com valores cristãos, que defendam a vida, o amor, a ética, o casamento, a família. Temos que respeitar e fazer respeitar nossos pastores católicos, sim, os verdadeiros Bispos e Pastores cristãos são os católicos! Acorda Brasil!  Vamos para as ruas fazer mega caminhadas em favor da vida e da família, em antítese às “paradas gays”. Vamos salvar nossos queridos jovens das drogas e da indústria do sexo que está destruindo o amor e o futuro, a esperança… Com o terço na mão, vamos nos unir a Maria Santíssima para reconquistar o Brasil para Nosso Senhor Jesus Cristo. Antes que seja tarde…