Dicas para vida tranquila de padre

Nunca critique ninguém, nunca fale a verdade abertamente, não denuncie as injustiças (especialmente do governo), não defenda a radicalidade evangélica nem se meta em polêmicas sobre a doutrina da Igreja.
Fique sempre do lado dos ricos, especialmente nunca negue um pedido particular, uma exceção para quem ajuda financeiramente a Igreja. Deixe as pessoas fazerem o que elas acharem mais bonitinho na liturgia, dê chance pra todos mostrarem os seus dons e talentos usando o microfone da Igreja pra isso.
Celebre a missa bem rapidinho, não reclame de nada do altar, nada mesmo! Não reclame da roupa curta das meninas ou das bermudas dos homens ou do modo de vestir seja lá de quem. Não exija que as pessoas sejam pontuais na missa, afinal, elas têm mais o que fazer! Deixe as pessoas comungarem da forma que acharem que devem.
Sorria sempre, como os políticos, nunca demonstre a verdade sobre os seus sentimentos. Não receba ninguém, absolutamente ninguém em casa, só em grupos e com todas as portas abertas e só durante a parte mais luminosa do dia.
Uma dica muito, muito importante: deixe os leigos fazerem o que quiserem com o dinheiro da Igreja, não exija prestação de contas.
Deixe que as festas dos padroeiros sejam um momento de arrecadação, custe o que custar. Não impeça venda de bebidas alcoólicas, shows mundanos, seja lá o que for.
Faça o catecismo bem rapidinho e deixe as crianças se fantasiarem de princesas e pajens para tirar fotos na primeira comunhão. Aliás, em todos os momentos litúrgicos de festa, deixe que os fotógrafos façam o que quiserem, subam no altar, se for necessário, subam literalmente na mesa do altar, contanto que a foto fique bonita no casamento, crisma, primeira eucaristia, batizado, etc.
Celebre nas casas para a comodidade do povo, especialmente dos ricos. Não faça curso de batismo e aceite qualquer um ser batizado, com qualquer padrinho. Diga para as pessoas juntas, amasiadas, que elas podem comungar, mas diga em segredo pra que ninguém saiba.
Não exija engajamento dos jovens. Crisme qualquer um que queira, afinal, é problema deles…
Enfim, seja um padre bem bonzinho, que se esforça ao máximo, ao extremo mesmo, para agradar a todo mundo. Pronto: você terá uma vida quase 100% tranquila e uma eternidade bem quentinha nas profundezas do inferno!

Tartaruga na árvore

Fazia tempo que não colocava uma coisa engraçada aqui…

Enquanto suturava um ferimento na mão de um velho gari (cortada por um caco de vidro indevidamente jogado no lixo), o médico e o paciente  começaram a conversar sobre o país, o governo e, fatalmente, sobre o Lula e sobre a Dilma.


O velhinho disse:

– Bom, o senhor sabe, a Dilma é como uma tartaruga em cima de uma árvore…

Sem saber o que o gari quis dizer, o médico perguntou o que diabos significava uma tartaruga numa árvore?
E o gari respondeu:

– É quando o senhor vai indo por uma estradinha e vê uma árvore. Lá em cima tem uma tartaruga tentando se equilibrar num dos galhos.

Diante da cara de bobo do médico, o velho acrescentou:

– Isso é uma tartaruga numa árvore.

– Você não entende como ela chegou lá;

– Você não entende porque a colocaram lá;

– Você não acredita que ela esteja lá;

– Você sabe que ela não subiu lá sozinha;

– Você sabe que ela não deveria, nem poderia, estar lá;

– Você sabe que ela não vai fazer absolutamente nada, enquanto estiver lá;

– Então, tudo o que temos a fazer, é ajudá-la a descer de lá, e providenciar para que nunca mais suba, pois lá em cima, definitivamente, não é o seu lugar!!!

Você conseguiu?

Para qual lado o ônibus abaixo está indo?

Para a esquerda ou para a direita?












Não consegue descobrir?

Olhe para a foto atentamente de novo. 


Ainda não sabe?

Essa pergunta foi feita a crianças
de pré-escolas
com essa mesma foto




 
90% delas deram esta respota:


"Ônibus está indo para a esquerda." 


Quando perguntadas

"Porque você acha que o ônibus está indo para a esquerda?" 

Elas responderam: 

“Porque você não pode ver a porta pra entrar no ônibus.”
Como você se sente agora???

Eu sei, eu também.

AGORA SEJA SINCERO, VOCÊ ACERTOU???

NÃO SE ENVERGONHE, RESPONDA!!!!
UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA….

A diferença de um “erre”

leitura-bibliaÀs vezes ser padre é muito divertido. Não me levem a mal, mas realmente é muito engraçado perceber certas coisas. E tem coisa que só o padre vê; injustiça, assim eu acabo achando graça sozinho. Nesse caso, vou fazer vocês se divertirem também, ou não, depende…

Tem muita comédia que acontece na hora da Missa. Como, quem me conhece sabe, eu sou muito “discreto”, é difícil alguém não perceber quando acontece uma marmota na minha frente. Acho que daria para escrever um livro de “piadas de sacristia”. Talvez seja uma boa ideia. Quem topa ajudar?

Bom, para começar, de leitura engraçada tem um monte. Acho melhor rir do que chorar, até porque, ler errado é um enorme desrespeito à Palavra de Deus! São incontáveis formas de dizer as palavras da Bíblia, eis algumas pérolas:

– “Leitura do livro do demônio” – bom, com essa aberração, a criatura que se dispôs a ler deveria ter dito livro do DEUTERONÔMIO!

– “Leitura da primeira carta de São Paulo aos Tessalosinesis, Tesalonisesis, Teza… bom, é isso aí”. A Carta de São Paulo aos TESSALONICENSES é campeã de versões originais.

– “Leitura do livro do êchodo”, ou então: “Leitura do livro do exôdo”… ÊXODO, minha filha, ÊXODO! Sei de uma menina que não tinha quem fizesse ela ler o xis com som de z (coisas complicadas da nossa língua, não é mesmo? A coitadinha não tem culpa…); essa pobre coitada ficou com trauma do padre corrigindo na hora da missa e nunca mais leu.

– “Leitura do ato dos apóstolos…” Qual, meu Deus! Qual ato???

Bom, existem as palavras campeãs: incircuncisos e circuncisão, por exemplo.

Mas a campeã de todas, que ficou memorável, foi uma que eu presenciei e que jamais irei esquecer: depois da comunhão, alguém dá os avisos da semana enquanto eu ouvia sentado um pouco distraído. No final, a pessoa diz: “sexta-feira, adoração do esse, esse, eme, ó”. Na mesma hora eu falei no microfone: “o que, minha filha?”, aí ela repetiu: “padre, é o que tá escrito aqui no papel: adoração do esse, esse, eme, ó na sexta feira”. Só então percebi que no papel dela estava escrito SSmo! Ou seja, na sexta-feira haveria adoração do SANTÍSSMO SACRAMENTO! Não precisa nem dizer que eu caí na gargalhada, né?

Uma outra inesquecível foi em um domingo de ramos. Como vocês lembram, normalmente, a leitura da Paixão de Cristo é dividida entre alguns leitores, ficando com o sacerdote as partes da fala de Jesus. Pois bem, chega um momento, quando o narrador proclama a morte do Senhor, onde todos devem se ajoelhar e fazer um momento de silêncio, por respeito e adoração. Certa vez, a pessoa que estava lendo disse em alto e bom tom ao microfone: “E Jesus deu um grande grito e espirrou”. Que diferença faz um erre, um simples errezinho, não acham? Bom, na verdade, não só um “r” pois o verbo expirar, portanto, Jesus expirou, se escreve com x, mas a pronúncia é a mesma. [1] Ainda bem que a gente tinha que se ajoelhar, assim as pessoas não viram eu rindo logo na hora menos indicada…

Mas o objetivo de toda essa lista de comédias é chamar atenção para alguns erros evitáveis, mas que a gente comete por falta de informação adequada.

À parte o fato que devemos ter um grande respeito pela Palavra de Deus e tudo o que se refere à sagrada liturgia, e, por isso, os nossos leitores devem ser o mais bem preparados possíveis; existem algumas coisas que, na missa, não dizemos e respondemos de modo correto, por incrível que pareça, por não entendermos direito a gramática das frases. Isso mesmo, por erro de português!

Vamos lá:

“Orai, irmãos…” – o padre faz um pedido à assembleia, na segunda pessoa do plural do modo imperativo. Não somos habituados no nosso dia-a-dia com a 2ª pessoa do plural, ou seja, com o “vós”. Provavelmente, a liturgia católica seja o único lugar onde escutamos normalmente essa forma. No Brasil, substituímos o “vós” por “vocês”. Mas isso não é um problema, a não ser que nós não consigamos mais entender direito o pronome “vós”. Mas, na verdade, não é esse o motivo do erro aqui (que eu  nem falei onde é que tem erro!). Voltemos à frase: “orai irmãos…”. É um convite (em tom de ordem) que o presidente da celebração faz à assembleia e esta, por sua vez, deveria responder AO PADRE. Isso mesmo, a resposta não é a Deus, mas ao padre! Aí é que está o erro que muita gente comete. Vamos ver agora a resposta do povo?

– “Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para a glória do seu nome, para o nosso bem e de toda a santa Igreja”.

Em outras palavras: Padre, nós desejamos que o Senhor Deus receba por tuas mãos sacerdotais este sacrifício do pão e do vinho mudados no Corpo e Sangue de Jesus, para a glória do seu nome (o nome de Deus), para o nosso bem e de toda a Santa Igreja.

A confusão que nós fazemos entre o “tu” e o “você” é que atrapalha nessa frase, entenderam?

Muita gente pensa que a frase é dirigida a Deus, é uma oração, e dizem a frase assim:

– Receba, ó Senhor, por tuas mãos (as mãos de Deus)… Isso está totalmente errado e essa frase não seria sequer possível na Missa, pois, na liturgia, não se pode tratar Deus por “tu”, mas somente por “vós”. O verbo “receba” estaria errado e o pronome “tu”, pior ainda.

Por hoje é só, até a próxima.



[1] Imaginem, como o padre faz as vezes de Jesus na leitura da Paixão, quando ela disse que Jesus espirrou eu deveria responder: aaaaatchim!!!

 

Deixa dirigir e vai junto?

Resolvi dar uma contribuição lógica ao processo de seleção com a seguinte Pergunta: Você contrataria para dirigir ou entraria em um carro, avião, etc, para fazer uma viagem de 4 dias, sabendo que o pseudo motorista ou piloto, jamais dirigiu ou pilotou coisa nenhuma?
Caso a resposta tenha sido obviamente não, pergunta-se: Porque você votaria em alguém que jamais dirigiu coisa alguma para digirir o país por 4 anos?
Sentiu um frio na barriga?
Pois é! Aprendam antes dirigindo um comércio, um sindicato ou algo parecido, de preferência cujos prejuízos não fiquem por nossa conta.
Quem não lembra da Zélia?