Orientação sobre o voto

ESTA SEMANA VOCÊ TEM ALGO MUITO IMPORTANTE A FAZER.


Neste Domingo, eu e você iremos até a urna eletrônica para expressar a nossa decisão sobre quais as pessoas que melhor nos representarão nos governos Federal e Estadual.

Votaremos no Presidente, em 2 (dois) Senadores, no Governador e nos Deputados (Estadual e Federal) que desejamos eleger.

Escolheremos 6 pessoas que tomarão as decisões que influenciarão nossas vidas nos próximos 4 (quatro) anos ou mais. Porém, somente serão eleitas através da influência de algo que é direito nosso: o voto.

Esta escolha deve ser feita com critério, e levando em consideração os nossos valores, ou seja, o que consideramos ser mais valioso na promoção da paz e felicidade autêntica, e analisando também os valores vivenciados pelos nossos candidatos em sua vida pessoal e pública.

A liberdade religiosa é um valor para você? Educar seus filhos na sua fé é um valor para você? Proteger a vida de todo ser humano desde sua concepção é um valor para você? Promover a reta compreensão da sexualidade é um valor para você? Respeitar os símbolos religiosos é um valor para você? Orientar os homens e mulheres que se prostituem a tomarem um novo caminho é um valor para você? Ter a família (pai, mãe e filhos) como o núcleo central da sociedade, enquanto civilização do amor, é um valor para você?

Como eu acredito que a sua resposta é sim, sugiro responder as perguntas acima quanto aos valores dos seus candidatos e dos partidos que eles pertencem, pois dependendo das decisões que você tomar ao votar estes valores poderão ser defendidos ou esquecidos nos próximos anos.

Além disso, devemos avaliar quais candidatos possuem a competência e a coerência moral para desenvolver a nação e promover o povo brasileiro, de modo especial os mais pobres, dando a eles autonomia para conduzirem suas vidas e dignamente receberem o “pão de cada dia” a partir do fruto de seu trabalho.

Precisamos, nesta reta final da decisão eleitoral em nosso País, despertar a nossa consciência e daqueles mais próximos a nós para oferecermos ao Brasil um voto esclarecido, diante das propostas que realizarão um progresso verdadeiro de cada indivíduo e da sociedade, bem como votar em candidatos que apresentem coerência na sua história de vida, entre o que dizem e fazem.

Neste próximo Domingo seja coerente com sua fé e seus valores e não vote em candidatos e partidos que defendem o aborto ou que com eufemismo dizem que o aborto é uma questão de saúde pública, que querem tirar os símbolos religiosos dos lugares públicos restringindo a liberdade religiosa, que não apóiam o ensino religioso, que não favorecem o desenvolvimento e uma justiça social com dignidade e que fazem pouco caso da democracia.

Neste próximo Domingo seja coerente com sua fé e seus valores e vote em candidatos e em partidos que defendem a vida desde a sua concepção até o seu ocaso natural, a família, a liberdade  religiosa e de imprensa. Apóie o ensino religioso e favoreça o desenvolvimento integral com uma digna justiça social e que defendam a democracia.

Vote com consciência. Não vote por interesse ou por conveniência! Lembre-se: você como cristão é também cidadão deste mundo e responsável, também através do seu voto, por ajudar a construir a civilização do Amor.

COMUNIDADE CATÓLICA SHALOM

Anúncios

Quem vos ouve…

Pessoal, eu sei que não tenho agradado a todos, tenho sido bastante claro em algumas posições, usando do dom incomensurável da LIBERDADE que Deus me deu, sem trair jamais a verdade com retidão de consciência.

Gostaria de lembrar as palavras de Jesus aos seus discípulos: “Quem vos ouve, a mim ouve”. São palavras muito fortes e que conferem uma autoridade muito importante, enorme, àqueles que são, na Igreja, sinal visível do pastoreio de Jesus Cristo, nosso Senhor.

Faço essa premissa porque, ao meu ver, não podemos jamais, em sã consciência cristã católica, ignorar as palavras dos nossos bispos que, com grande lucidez e sabedoria, nos expõe a posição da Igreja nesse momento tão delicado no qual vivemos.

Peço a paciência, portanto, de assistirem esse vídeo.

Cada um a seu modo…

Achei muito interessante esse e-mail e gostaria de partilhar com vocês.

A Deus nada é impossível…

OREMOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Vamos lá gente!!!!!!!!!entremos nesta corrente!!!!!!!!!!   JOELHO NO CHÃO!!!!!!!!!!!!
A forma com que vem mostrando as pesquisas é assustadora a subida…Algo deverá ter por trás disto…
Abraços fervorosos,de quem não perdeu a esperança…

DEVEMOS PASSAR ALGUMAS CÓPIAS EM FOLHETOS PELA IMPRESSORA E ENVIAR OU DISTRIBUIR PARA PESSOAS QUE NÃO TEM INTERNET.

RECORRAMOS À ORAÇÃO

O inimigo já canta vitória

http://naomatar.blogspot.com

Dilma Rousseff não apenas está certa da vitória. Está certa de vencer em primeiro turno, tingindo de vermelho nossa bandeira, legalizando a morte de inocentes, expulsando os símbolos religiosos do governo e substituindo-os pela estrela vermelha de cinco pontas.
Ela zomba de nós, cristãos. Não achou necessário comparecer ao debate da TV Canção Nova a fim de explicar seu apoio ao aborto, à união civil de pessoas do mesmo sexo, à adoção de crianças por duplas homossexuais e ao reconhecimento da prostituição como uma profissão. Alegou falta de tempo em sua agenda. No entanto, durante o debate, ela postava em sua página no Twetter uma mensagem indicando um novo álbum da banda mineira “Pato Fu”: Olha que interessante, o Pato Fu interpretando músicas de sucesso usando instrumentos de brinquedo“.
Ela conta com a máquina petista, com o apoio explícito do atual presidente durante o horário eleitoral gratuito, com a fascinação do povo pelas esmolas conhecidas como bolsa-família e congêneres e, por fim, com o silêncio de muitos pastores de almas.
O inimigo festeja. O Brasil está a caminho de se tornar uma nova Cuba, onde a religião é perseguida, a liberdade é cerceada e anualmente ocorrem, segundo estatísticas oficiais, cerca de 50 abortos provocados para cada 100 partos. Olhemos para a Venezuela, onde o povo é oprimido pela ditadura de Hugo Chavez, que insiste em se perpetuar no poder. Olhemos para a China, onde o aborto é usado pelo governo comunista como método de contenção da população. Olhemos para as FARC, aquele grupo terrorista que aflige dolorosamente o povo colombiano. Olhemos por fim para a Espanha, onde o Partido Socialista Operário Espanhol (versão espanhola do PT) desde que subiu ao poder não fez outra coisa senão combater as raízes cristãs daquela nação: instituiu o divórcio “express” (por decisão de uma das partes, sem necessidade de separação prévia ou de explicar as razões), o “casamento” de pessoas do mesmo sexo, a adoção de crianças por tais “casais”, e recentemente o aborto livre até 14 semanas inclusive para adolescentes de 16 anos.
Toda essa tragédia está iminente no país. Parece que o PT desafia a nós, que confiamos no Senhor, como antes o rei Senaquerib da Assíria desafiou o rei Ezequias: “Dentre todos os deuses das nações, quais os que livraram sua terra de minha mão, para que o Senhor possa salvar Jerusalém?” (2Rs 18,35).

DE DEUS NÃO SE ZOMBA

De Deus não se zomba” (Gl 6,7). “Uns confiam em carros, outros em cavalos; nós, porém, invocamos o nome do Senhor nosso Deus” (Sl 19,8).
A oração fervorosa do justo tem grande poder. Assim, Elias, que era um homem semelhante a nós, orou com insistência para que não chovesse, e não houve chuva na terra durante três anos e seis meses. Em seguida, tornou a orar e o céu deu a sua chuva e a terra voltou a produzir o seu fruto” (Tg 5,16-18).

OREMOS PELA SALVAÇÃO DO BRASIL

Convido a todos aqueles que temem a Deus e confiam Nele a orarem comigo pela salvação de nossa pátria. Sugiro que façamos durante os poucos dias que nos restam, um “Rosário pela Vida“.
A idéia é simples. Às três horas da tarde, a Hora da Misericórdia, rezamos o terço da Misericórdia. Em seguida rezamos umrosário completo, com os mistérios gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos. A oração completa dura cerca de uma hora e vinte minutos.
É um sacrifício que vale a pena, dada a situação angustiante pela qual passamos.
Se você não puder rezar às três horas da tarde, pode fazê-lo em outra hora. Se não puder rezar um rosário inteiro, pode rezar uma parte dele.
Mas peço àqueles que puderem rezar, que não façam por menos.
O Rosário foi a oração insistentemente pedida por Nossa Mãe do Céu quando apareceu em Fátima, a fim de obtivéssemos a paz e a conversão.
A Hora da Misericórdia é um momento privilegiado de oração. Disse Jesus a Santa Faustina: “Nessa hora nada negarei à alma que pedir por minha Paixão“.
Peço sobretudo a oração das crianças e dos doentes, duas classes de almas que têm acesso especial ao Céu.

O nosso auxílio está no nome do Senhor
que fez o Céu e a terra
” (Sl 120,2)

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

Presidente do Pró-Vida de Anápolis

Telefax: 55+62+3321-0900

Caixa Postal 456

75024-970 Anápolis GO

http://www.providaanapolis.org.br

“Coração Imaculado de Maria, livrai-nos da maldição do aborto”

http://www.movelandia.com.br/consagracao.htm

Ficha limpa

BRASÍLIA, sexta-feira, 20 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) lamentou nessa quinta-feira que quatro dos 27 TREs (Tribunais Regionais Eleitorais) não tenham aplicado plenamente a Lei da Ficha Limpa.

É o que afirma o organismo em nota divulgada após reunião do Conselho Episcopal de Pastoral (CONSEP), entre os dias 17 e 19 de agosto, em Brasília.

“A conquista da Lei da Ficha Limpa mobilizou o povo brasileiro na esperança de ver banidas as práticas da corrupção no cenário político do País. Nesta perspectiva, a sociedade almeja a sua plena aplicação nas eleições de 2010”, afirma o texto da presidência da CNBB.

Segundo o organismo, é “histórico o fato de que 25% dos pedidos de impugnação tenham sido acatados pelos Tribunais Regionais Eleitorais”.

Até o momento, foram 169 negações de registros de candidaturas que alcançaram candidatos aos cargos de Governador, Senador, Deputado Federal, Estadual e Distrital.

Ao lamentar que quatro TREs não tenham aplicado plenamente a Lei da Ficha Limpa, os bispos afirmam estar “seguros de que seus eventuais equívocos serão reparados pela posição segura do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”.

A CNBB diz esperar “das instâncias do Poder Judiciário que têm a missão institucional de arbitrar as controvérsias em torno da aplicação da lei, marcadamente do Tribunal Superior Eleitoral e Supremo Tribunal Federal, o mesmo empenho efetivo que houve no Congresso Nacional na aprovação da iniciativa popular”.

Código Florestal

A CNBB também discutiu em sua reunião desta semana a possível alteração do Código Florestal Brasileiro, cuja proposta foi apresentada em junho à apreciação da Comissão Especial da Câmara dos Deputados.

Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, o presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio Rocha, afirmou que “o atual Código Florestal Brasileiro responde melhor do que as emendas que estão sendo propostas pelo Congresso Nacional”.

A defesa da CNBB à manutenção do atual Código Florestal consta na nota divulgada pelo organismo, disponível em: http://www.zenit.org.

Deixa dirigir e vai junto?

Resolvi dar uma contribuição lógica ao processo de seleção com a seguinte Pergunta: Você contrataria para dirigir ou entraria em um carro, avião, etc, para fazer uma viagem de 4 dias, sabendo que o pseudo motorista ou piloto, jamais dirigiu ou pilotou coisa nenhuma?
Caso a resposta tenha sido obviamente não, pergunta-se: Porque você votaria em alguém que jamais dirigiu coisa alguma para digirir o país por 4 anos?
Sentiu um frio na barriga?
Pois é! Aprendam antes dirigindo um comércio, um sindicato ou algo parecido, de preferência cujos prejuízos não fiquem por nossa conta.
Quem não lembra da Zélia?

Valor do Voto

BRASÍLIA, terça-feira, 10 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – Apresentamos artigo do bispo de São José do Rio Preto (São Paulo), Dom Paulo Mendes Peixoto, sobre o valor do voto, texto difundido pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) nessa segunda-feira.

* * *

A minha palavra é destinada a todos os diocesanos e às pessoas cidadãs, de boa vontade, querendo assim contribuir para a vida do nosso povo no momento tão especial como estamos agora vivendo, com a chegada das Eleições. Faço isto vendo a grande importância da participação política dos cristãos na vida social, para construir uma sociedade fraterna, justa e solidária.

É importante acompanhar o processo político, vendo de perto o perfil dos candidatos para criar consciência e responsabilidade, ajudando assim nos destinos do País e do Estado. Sabemos que o papel do eleitor vai além do seu voto. Começa pelo conhecimento dos candidatos, sua vida, atuação, propostas e posturas apresentadas. Continua depois, acompanhando a gestão dos que forem eleitos.

A sociedade almeja uma ética na política e uma coerência dos políticos. Não é por acaso que tivemos a iniciativa popular para criar a Lei chamada “Ficha Limpa”. Para que ela seja aplicada, efetivamente, é preciso haver uma mudança de mentalidade e de ação, tendo em vista uma política marcada por princípios e valores éticos fundamentais para o povo.

A Palavra de Deus e a Doutrina Social da Igreja, seguramente credenciadas por uma prática histórica milenar, podem dar fundamentos para isto. Aí os candidatos devem buscar os critérios de ação, dando aos eleitores as bases para o exercício da cidadania para um voto consciente e comprometido podendo, dentro do processo, agir com corresponsabilidade.

Alguns dados devem ser identificados nos candidatos, sem os quais não merecem o sufrágio dos cidadãos cristãos. Um deles é se defendem a vida, da concepção até a morte natural, já que a vida é o maior dom que todos temos. Não merece o nosso voto quem tem iniciativas contra a dignidade das pessoas e das famílias, defendendo o aborto e a eutanásia.

Quando a pessoa governa, deve ter em mente o bem comum, olhando para os mais pobres, promovendo uma sociedade mais fraterna e em condição de todos terem vida com dignidade. Para isto deve cuidar da saúde, educação, moradia, trabalho e justiça social. Os interesses do povo precisam estar acima dos particulares. É bom candidato quem é comprometido com o bem comum.

Olhar também o comportamento ético dos candidatos: sua honestidade, competência, transparência, vontade de servir o bem comum, idoneidade moral e suas propostas de ação política. As propagandas podem ocultar os interesses particulares do candidato. Olhar se seu histórico não é de corrupção e de má gestão, de “ficha suja” e de uso da máquina pública para fins eleitoreiros.

Não transformar o voto em mercadoria. Ele não pode ser vendido. Tanto quem compra, como quem vende, é corrupto. É atitude que deve ser denunciada à Comissão Contra a Corrupção Eleitoral, da Lei 9840, que deve tomar as devidas providências. Diante de tudo isto, suplico a Deus para iluminar e abençoar a todos, candidatos e eleitores, nessas próximas Eleições.

Dom Paulo Mendes Peixoto

Bispo de São José do Rio Preto, SP